quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Puma de corrida - Angi Munoz

Aí está a grande fera que faltava no Puma Classic:
'Olá Felipe,
Procurando Pumas na Internet descobri o seu Blog por que vi uma miniatura perfeita do Puma #8 feita pelo Ricardo Tropia, cujo telefone já anotei.
Você quando jovem foi vizinho da Comercial MM, que revendia os Pumas em SãoPaulo e onde eram preparados para corrida, então mando um pouco da historia do Puma #8. Os Pumas de corrida eram fabricados em fibra de vidro mais "fina" para ficarem mais leves, na Puma no galpão da antiga Ford, no Ipiranga e vinham sem acabamento, apenas com o banco do piloto para Comercial MM na Avenida Santo Amaro, para serem preparados para corridas. Aí mudávamos a caixa de cambio e o motor era "enxertado" com peças Porsche, carter seco com radiador de óleo colocado no bico do carro, rodas Scorro de magnésio e pneus Cinturato Pirelli. Comecei correndo na rua em Piracicaba - onde nasci - com DKW VEMAG, cujo chefe de equipe era o Jorge Lettry e o Crispim um dos mecânicos, que depois se tornaram os homens que fariam os Pumas. Quando vi o primeiro Puma me apaixonei e comprei um na versão de corrida e o meu primeiro patrocinador foi a Caninha Cavalinho de Piracicaba. O número 8 era mais prático e barato, pois cada circuito que chegávamos os carros locais já tinham números e bastava uma fita preta ele se tornar 48, 81, 18 ou 8, sem ter que pintar (hoje se usam adesivos). Agora as fotos:

Puma #8 de Angi Munhoz vence em Brasília. Puma #46 em "Duas Horas de Interlagos".
Puma #48 em Brasília na chuva.
Puma #46 com o Freddy Giorgi, em Curitiba. O logotipo da Comercial MM na lateral do carro.
Dois Pumas "de fabrica" o #4 com Chico Lameirão e #18 com Angi Munhoz. Puma #81 da Caninha Cavalinho. Fusca da Comercial MM preparado para "24 Horas de Interlagos", onde manteve-se por 23h30m em segundo até quebrar, atrás do Opala do Bird e Nilson Clemente os vencedores. Da esquerda para direita: Zereu, Gigante, Cripim, Freddy Giorge, "MM” Milton Masteguim e Angi Munhoz.
Grande abraço, Angi Munhoz'

5 comentários:

Anônimo disse...

Milton e Crispim mto jovens tb.

(Ronaldo)

Rui Amaral Jr disse...

Grande Angi, o Crispim está do mesmo geito! Belas fotos.

Um abraço

Rui

Leo Gaúcho disse...

Karacas, fotos realmente historicas!!!!

Parabéns pelo arquivo e pelo depoimento Angi!

Christian disse...

Olá Angi,

muito interessante seu artigo. Gostaria de saber mais detalhes sobre as alterações mecânicas. Quais as relações de marchas eram usadas e quais as mudanças no motor? Podendo deixa a gente saber mais sobre o trabalho de vocês.
Abraços
Christian

angi.munhoz disse...

Caras faz tempo,mas vamos lá: colocavamos um tanque de inox de 15 litros dentro do Puma e um radiador de oleo no bico do carro e no motor uma bomba dupla de oleo ( tocada pelo virabrequim no lugar da correia do gerador) que puxava do carter seco com um pescador colocado em uma caneca no dreno do oleo do motor e comprimia o oleo no motor.
A refrigeração era otima pois tinhamos quase 20 litros de oleo no circuito entre mangueiras, tanque e radiador, o que dava muita durabilidade ao motor que geralmente era de 1900cc.
Bom caras outro dia falo do cambio pra vcs. abraços Angi