sexta-feira, 2 de outubro de 2009

45 anos de Puma Indústria de Veículos

Hoje estamos comemorando o nascimento da Puma. Em 2 de outubro de 1964, aí no galpão da Avenida Presidente Wilson, n°4413, no Ipiranga, São Paulo, começava a linda história de um esportivo que nasceu para brilhar. Parabéns aos idealizadores, aos funcionários, a todas pessoas envolvidas durante seus quase trinta anos de existência e principalmente aos proprietários, ao longo desses anos todos, pela marca escolhida.

12 comentários:

Dr. JMM disse...

Opa, tou dentro.
"this is not a car. This is a puma".

Hélcio disse...

Eu acho que nasci na época errada.
Desde sempre gostei de puma, e minha escolha de primeiro carro foi um Puma. Apesar de ter andado muito poucas vezes na minha por causa da restauração, mesmo ali parada na garagem, dá gosto de olhar.
Realizei um sonho que meu pai tinha e que de alguma forma refletiu em mim. Nas palavras dele: "É, meu filho, Eu não tive um puma como sonhei. Graças a Deus, o seu sonho você conseguiu realizar.".
Parabéns aos nossos carros!

MSalinas disse...

É Helcio,
e eu nasci na época certa (sou 4 dias mais velho que a Puma, conforme a coluna do Felipe), sempre quis ter um Puma desde os 16 anos e não tinha como tê-lo na época.
Desejo realizado agora (da mesma forma como o de seu pai), aos 45 anos.
E feliz da vida!
Abraço.

Fernando Portilho disse...

Quem merece os parabéns, também...
Felipe Nicollielo!!!!!
Afinal não fosse nosso mestre, muito mais pessoas teriam desistido das restaurações por falta de informações, e este espaço não existiria.
Parabéns pra você também Felipe, já não conseguimos dissociar seu nome com as nossas Felinas.
Abraço, Fernando.

smarca disse...

Faço coro com o Marcelo Salinas e Fernando Portilho:

- Eu nasci na época certa, pois quando completei meus 18 anos, em 1978, não podia nem sonhar em ter um Puma. Podia, no máximo, me contentar em torcer o pescoço a apurar a visão até onde ela alcançasse, acompanhando um quando ele passava. Coincidência ou não, hoje tenho meu GTS 78.

- Sem dúvida alguma este blog me foi e me é sempre de grande ajuda, certamente a maior delas, pois depois que comprei meu Puminha fui à internet fuçar para aprender mais sobre o carrinho e tentar fazer o melhor que podia para deixa-lo o mais perfeito possível e, ao mesmo tempo, do meu gosto pessoal. Talvez o tom distoante da originalidade do meu Puma esteja no excesso de cromados, como o Felipe definiu certa vez e que não deixa de ser verdade (motor completo, escapamento, porcas dos botões do painel e aros dos instrumentos). Mas esse é meu tom pessoal já que sempre quis ter um carro deste jeito. Ao mesmo tempo que um Puma, na minha adolescência e juventude chamava minha atenção, revistas de hots e modificados yankees com toda sua mecânica cromada (às vezes dourada até!) sempre me fascinaram. Então, abri mão dos 100% de originalidade e decidi conciliar no meu carrinho ambos os lados. Por algum motivo sempre quis explicar isso pro Felipe e esta me pareceu agora uma boa oportunidade.

Vinicius Froes disse...

Boa..............
combinação asfalto longe dos muros das cidades num legitimo fora de epoca...



abraços

Cesar Costa disse...

Comprei "minhas rodas & motor" exatos 45 anos depois do primeiro fabricado? Se prepare dr. consultor, que vou encher muito seu saco!!!!

Felipe Nicoliello disse...

Moçada, muito obrigado.
Como já contei anteriormente, em Lindóia 2004 fui com meu Puminha somente participar. Primeiro porque estive afastado do meio por longos 10 anos, depois fiz questão de ir para agradar meu cunhado Jaymir Cazellotto do Clube do Chevrolet. Também por influência do meu filho Bruno, acelerei a restauração para ir a Lindóia. Chegando lá, fiquei muito entristecido ao ver a imagem Puma sendo deturpada e na maior simplicidade, comecei a questionar, descobrindo a falta de conhecimentos e dados. Não acredito que ninguém sabia aquela altura, mas ninguém fazia questão de lecionar. Vi lá em Lindóia 2004, duas pessoas com vasto conhecimento Puma, mas entendo bem o que acontecia, ficavam calados, na deles, porque Puma não era muito respeitado. Aí deu no que deu, lecionar foi moleza, o duro foi impor respeito a marca, no meio do antigomobilismo. E para isso tive bastante ajuda do pessoal do Clube do Chevrolet e posteriormente dos apaixonados por Puma, que sempre estavam na minha retaguarda, me dando condições para brigar pelo espaço e importância.

Hélcio disse...

Felipe,
vc realmente, mais do que ninguém, merece tb os parabéns. Hj o puma é reconhecido e muitos têm se tornado fã deles graças a vc.
Eu mesmo, nunca fui tão enjoado por detalhes em um carro como sou agora. Minha mãe fala que eu sou um "velho doido tarado por puma". Eu não posso ver um abandonado na rua que meus olhos enchem d'água!
Parabéns à vc Felipe e aos criadores da nossa paixão.

abraços!

Hélcio disse...

MSalinas,
Meu pai sempre gostou do carrinho e foi praticamente o único a me dar apoio de resgatá-lo da oficina onde estava e restaurá-lo do início.
Apesar do incentivo, o carro é meu mesmo, eu mesmo juntei e o comprei, bem como todas as peças que faltavam para ele eu comprei.
O meu pai entrou na história somente no incentivo, hehe...

abraços!

Luby disse...

Independente de tudo que foi dito temos que dar os PARABENS ao nosso amigo Felipe pela dedicação e amor à marca e por este fantastico trabalho no blog que serve de referencia para todos que possuem, gostam e principalmente como fonte de consulta confiavel para quem esta restaurando algum carro portanto meu amigo Felipe mais uma vez parabens pelo excelente trabalho..
abs

Felipe Nicoliello disse...

Obrigado amigos.
Só peço desculpas por não conseguir comentar ou responder perguntas no "time" certo. Mas com paciência eu vou pondo a correspondencia em dia.