quinta-feira, 25 de junho de 2009

Espelho Retrovisor GTB S2 e P-018

O assunto já foi alvo de matéria publicada aqui, hoje vamos falar especificamente do espelho "raquete" que equipou o GTB S2 e P-018. Os espelhos eram os mesmos adotados no GTE/GTS de 1979, com a diferença no suporte de fixação. Nesse caso tratado, o suporte era lateral, fixado com um tubo rosqueado e porca pela parte interna. O GTB S2 começou com esse espelho, mas NÃO se tem comprovações reais que a Puma a partir de 1983, começo adotar o espelho retrovisor do Chevette/Monza no S2. O espelho do Monza fase II, hoje utilizado em quase totalidade dos S2 existentes, nunca existiu em nenhum Puma GTB S2, mesmo porque a Puma encerrou as atividades em São Paulo, em 1985 e o Monza Fase II foi lançado no meio do ano de 85. Nem o GTB S2 ASA fabricado pela Araucária em 1987 utilizou esse espelho. Somente o Puma AMV de 1988 começou com o espelho do Monza. No caso do P-018, por ser um desenho que remetia ao S2, o local do espelho era idêntico ao do seu irmão, portanto cabendo exatamente o mesmo espelho. Se no S2 não temos dados suficientes para saber se o espelho raquete foi substituído por outro, imagine no caso do P-018, que tem uma história conturbada e repleta de exceções. O modelo virou moeda de pagamento a fornecedores nos últimos anos da Puma, com carrocerias númeradas sendo entregues como pagamento e montadas pelos fornecedores. Uma questão pouco conhecida e levantada por uma pessoa ligada a fábrica, comenta que nenhum P-018 fabricado na Presidente Wilson teve suspensão arrastada, ou seja, a suspensão traseira do Variant II. Se é verdade eu não sei, já mexi meus pauzinhos para levantamento dos dados.
Ironicamente esses espelhos foram feitos pela Metagal para utilização em Fusca e acabaram equipando o veículo mais carro do cenário nacional.
Fotos dos espelhos Mário Q'Mário? Da pizza - Londrina-PR
Por causa do desenho e construção desse espelho, não havia necessidade de se ter um espelho para cada lado. Soltando os parafusos laterais e virando o suporte de ponta cabeça, poderia inverter o lado de utilização. Muito prático e com custo baixo.
No detalhe abaixo, a rosca do espelho, idêntica ao do Fusca, mesmo tamanho, mesmo tipo de rosca, que era para o cliente substituir facilmente o espelho de seu Fusca. E foi vendido no mercado paralelo para utilização em Fusca.

3 comentários:

smarca disse...

Interessante: como algo tão banal outrora pode ser tornar item de colecionador atualmente?

Incrível!

Felipe Nicoliello disse...

E muito raro Sandro.
Muitas pessoas jogaram esse espelho fora. Eu dei um desses no começo dos anos 90, para um empregado colocar no seu Fusca, pois tinham quebrado o dele.

Gonçalves disse...

Eu tinha um par deste espelhos que tirei do meu primeiro GTB S/2, coloquei aqueles dos Chevette 82 com controle interno... depois achei em casa e vendi no Mercado Livre...parecem muito com estes...convenhamos estes espelhos em um carro como o GTB S/2 não tinham nada a ver com um carro top de linha da marca Puma