quarta-feira, 24 de junho de 2009

Contos e histórias

'Caro Felipe, Este anúncio me lembrou um Grande Amigo, já falecido de um enfarto, o Oscar Reps que praticava caça submarina comigo. Mergulhamos juntos muitas vezes e ele foi motivo de uma reportagem no Jornal Nacional, pois certa vez não quis receber o conserto de uma Puma GTS em cheque. Disse ele de forma autoritária: - "Aqui não aceitamos cheques e o carro só sai, após o pagamento em moeda corrente no país." O dono da criança revoltado, decidiu então efetuar o pagamento em moeda corrente no país. O detalhe foi que para efetuar o pagamento foram necessárias 2 Kombis para transportar todas as moedas de CR$0,01 (é isto mesmo, um centavo de cruzeiro). Este fato ocorreu em 1976 e o dono do Puma, para ter a certeza de que a "Irmãos Reps", seria obrigada a aceitar o pagamento em moeda corrente do país levou não apenas a Rede Globo, mas também a Polícia que na naquela época era "MiIitar". Quanto as chacotas que teve de suportar, você pode imaginar. O apelido carinhoso que demos a ele era "Mister Moedinha". Tadinho do Oscar! Talvez por isto tenha sofrido um enfarto cerca de uma ano depois, quando veio a falecer. Forte abraço! Antonio Soto'

9 comentários:

Aluisio disse...

Vingativo este proprietário da GTS hein! O comerciante tem o direito de recusar um cheque se não sentir segurança do cliente.

Luby disse...

Eu lembro deste caso as kombis vieram lotadas de sacos com as moedas....

smarca disse...

Bem, na época não existia o dinheiro de plástico, então penso que os pagamentos eram em cheque ou em dinheiro corrente, modedas inclusas.

Ambos estavam corretos então, um exercendo seu direito de não aceitar um cheque que julgou "duvidoso" e o outro pagando em moeda corrente do país.

E, talvez, na época o incidente tenha até servido como propaganda gratuita para a loja, afinal saiu até na TV.

Felipe Nicoliello disse...

É mas não precisa levar a coisa literalmente: em moeda!
Vcs falando estou lembrando vagamente do fato, afinal eu nem tinha nascido...
Então, o assunto correu o Brasil e foi muito comentado, sem querer os dois fizeram uma jogada de marketing, como fazem muito hoje na F1 e tantas outras.
Sei que o assunto tomou vulto pq li em revistas muito antigas, nossa eram véias mesmo!!!
Sandro,
Não existia cartão?

smarca disse...

Fui pesquisar, tinha escrito sem conhecimento, e me enganei: o cartão de crédito surgiu no Brasil em 1954 - Visanet.

Havia portanto.

Já o cartão de débito não consegui encontrar desde quando foi implantado o primeiro em nosso país.

Anônimo disse...

Tenho 55 anos de idade e ja tive pumas no passado. Me lembro tambem deste caso das moedas em 76 pois os Irmãos Reps eram meus clientes. Eu fornecia material de pintura, resina e fibra para eles. Me lembro tambem da morte do Oscar em 78. Cartões de credito existiam sim e eram mais perigosos que cheque pois não havia segurança alguma. Quando o cliente chegava no caixa, vc tinha que consultar uma lista publicada pela administradora quinzenalmente para ver se havia problemas ou não com o cartão, alem disso eles tinham na face principal um alto relevo e vc tirava os dados do cliente numa maquina manual com papel carbono, um horror perto da segurança e das facilidades dos cartões de hoje. Cartões de débito surgiram em 1983 com a criação dos bancos quiosques 24 horas já informatizados e automaticos na época.

Felipe Nicoliello disse...

Anonimo,
Também tenho 55 anos e lembro bem desse época dos cartões terem consulta na "revista" dos cancelados, pois eu recebia cartões em minha loja. Era um saco, além disso, o comerciante corria o risco do cartão não estar na lista, porque foi cancelado há poucos dias, aí quem entrava bem era o comerciante. Para sanar esse problema, tínhamos que ligar para pedir autorização e o cliente resmungava até. Se para todos os cartões que aparecessem na loja fossemos pedir autorização, eles cancelavam o estabelecimento, porque alegavam que tinha o folheto, que virou catalogo, que virou livro, que virou lista telefonica, daí era melhor não aceitar cartão de desconhecidos.

karin reps disse...

Ola, amantes do puma....li as historias contadas por voces, e gostaria de fazer algumas correções...meu pai (oskar) morreu em 1978, e garanto que não foi de infarto, realmente ele gostava muito de caça e pesca submarina,quem de fato conhecia meu pai admirava seu carater e sua honestidade,saberia então que ele já não estava mais entre nos quando aconteceu o fato das ""moedas"" é que o cliente era em primeiro lugar....
quando os irmãos reps fechou em 1980, foi por ordem judicial,e nao a pedido de minha mae...como muitos acreditam até hoje.
e gente estou a disposição para quaisquer esclarecimentos sobre os fatos....curiosidades,e tudo mais que vcs quiserem saber dos Irmãos Reps afinal tambem sou amante do puma!!

Felipe Nicoliello disse...

Karin,
Obrigado pelo seu comentário. Por favor escreva para mim para nós contar a história do seu pai.
felipenicoliello@gmail.com