segunda-feira, 8 de junho de 2009

PumaGel

A Puma também desenvolveu alguns produtos químicos, como a resina de fundo para ser aplicada antes da laminação das camadas de resina de poliéster e fibra de vidro, conhecido como Gel-Coat. Um gel-coat é um material utilizado para fornecer um acabamento de alta qualidade sobre a superfície visível de uma peça em fibra de vidro e fornecer proteção contra penetração de água e outros líquidos, pois a fibra é porosa. A espessura média da camada de gel é 0,6 mm aproximadamente, não permitindo margem de erros na sua aplicação. O gel-coat pode ser encontrado em três tipos:
- Ortoftálico, que tem alto brilho de superfície; bom poder de cobertura (preto, branco e coloridos); fácil lixamento manual ou por jateamento. Utilizado para fabricação de peças novas que receberão acabamento posterior, como pintura.
- Isoftálico, que tem bom poder de cobertura (preto, branco e colorido); alto brilho de superfície; boa resistência a raios U.V.; boa resistência à absorção de água. Utilizado para fabricação de moldes, pela durabilidade e peças que não receberão acabamento e estarão expostas ao tempo.
- Gel primer, com bom poder de cobertura (somente cinza); fácil lixamento manual. Utilizado para reparos em peças antigas, que receberão acabamento posterior. O mais barato dos três.
Alguns fabricantes de peças fazem seu próprio gel a base de resina de poliéster e talco industrial, para baratear seus custos, mas a formulação é quase sempre sem critério, utilizando apenas esses dois produtos, quando na realidade é feito uma mistura de vários ingredientes, resina poliéster, carga mineral; absorvedor de UV, pigmentos, agente tixotrópico, desaerante e aditivo auto-nivelante. Concluímos que esse "gel de fundo de quintal" deixa de exercer sua função principal de facilitar o acabamento e proteger a peça. Mas isso só foi uma pequena explicação para se conhecer um dos produtos que vão na laminação de fibra de vidro, porque a coisa é mais complexa do que parece, claro, para quem não tem nenhum conhecimento.

7 comentários:

Anônimo disse...

E ainda tinha a 'massa plástica' com pequenos pedaços de fibra de vidro em sua formulação.
(Ronaldo)

Helio Herbert disse...

Muita gente nos primórdios da fabricação de carros em fibra no Brasil adicionavam pó de amianto com resina em certos tipos de acabamento,o que não se sabia é que o amianto era cançerígeno,o que levou muito laminador para o andar de cima antes do tempo.

Anônimo disse...

Aproveitando o gancho... sito a maior incidência de negros nesta sensibilidade:
- ...o que era tb motivo p/ uma constante advertência do RH da Puma (...tb evitar coçar, pois "abre" mais a pele!)
Ronaldo

Felipe Nicoliello disse...

Belas informações Ronaldo e Hélio.
Como era muito comum utilizar "carga" na resina para dar volume e só em certos casos resistência e com isso, muita porcaria foi junto nas resinas.
Essa da sensibilidade dos negros eu não sabia. Por isso que vemos poucos negros trabalhando com fibra, aliás não lembro de nenhum profissional realemnte negro nessa área, só o Crispin, assim mesmo ele era mais da mecânica, apesar de meter a mão na massa, digo, na fibra.
No começo a gente fica sensível coçando demais, com o tempo acostuma, acho que os poros ficam tampados de fibra! rsrsrs

branquinho disse...

Me expliquem uma coisa, geralmente as Pumas que já foram repintadas apresentam muitas bolhas (de tinta) na fibra!! Seria a falta do PUMAGEL? Ou as bolhas são comuns na fibra? Desculpem-me a ignorância....
Abraços

Felipe Nicoliello disse...

Ronaldo,
Essa massa plástica era amarelo forte? Encontrei em muitos Puma.
Branquinho,
A questão das bolhas geralmente são particulas de água que penetraram nos poros da fibra e com a evaporação, sua tedência e subir, encontrando a película de tinta que não a deixa escapar, formando a bolha. Para tanto, nunca se deve lixar a fibra com lixa d'água, por esse motivo. A falta de gel tb ajuda a proporcionar esse fenomeno. Existem outros casos de bolhas, menos comuns, mas aí é assunto para horas de leitura.

jkbosco2003 disse...

Olá! uma dúvida: quando do lixamento até a fibra para correção de alguma imperfeição é necessário a aplicação do primer gel coat? faço a pergunta porque alguns especialistas dizem que não, pois o primer é muito duro e não trabalhará junto com a fibra, enquanto outros dizem que deve ser aplicado como camada protetora. Então, afinal, qual a linha de trabalho mais correta? Obrigado!