sábado, 8 de janeiro de 2011

Puma de amigo - GTE 1980 - 3a. parte

Restauração? Não, apenas uma ótima conservação de todos os detalhes. É óbvio que muitas partes do Puma GTE 1980 do meu amigo Airton Camargo sofreram restauração, mas isso é muito diferente de uma restauração com peças novas ou doadas por outros Puma. Isso porque, se as peças só sofrerem ação do tempo é muito fácil sua restauração, já quando sofrem danos e são necessários consertos, a coisa não fica 100%.
A cor deste Puma, o bege champagne metálico foi uma das cores preferidas no final da década de 70, começo dos anos 80. O prata ainda era visto como uma cor apagada, triste e a recessão ainda não tinha começado para valer.
Olhando a lateral do Puma, não vemos a frente levantada como vinha de fabrica, neste caso, o proprietário instalou as famosas catracas na suspensão dianteira para rebaixá-lo, dando-lhe um aspecto mais harmonioso, afinal com a frente levantada só mesmo para aquela época.
Percebe-se que este Puma nunca sofreu uma grande desmontagem ou qualquer avaria comprometedora, pois seu alinhamento é perfeito.
A originalidade prima na maioria dos detalhes, provocando exclamações do tipo: belo Puma! E o filme nos vidros existentes, agora não fazem mais parte da obra de arte.
Quando vemos a maioria dos fora-de-série brasileiros reparamos nas lanternas e logo citamos de qual carro foi a origem. Isso acontece também com os Puma GTI, GTC, GTB, GTB S2, P-018, mas neste modelo, as lanternas de Kombi ficaram tão próprias para o veículo, que precisamos parar para pensar sua origem. Não somente pela posição horizontal, porque muitos pequenos fabricantes tentaram o mesmo com outras lanternas, mas sua forma denunciava o fato. No Puma, as lanternas parecem que foram feitas para ele, pelas curvaturas, tamanho e posição, nenhum detalhe à apontar em relação a desenho.
Este é o Puma - talvez o único - que ainda mantém o emblema do concessionário Puma Sul.
Como quero judiar de vocês, não vou parar com as fotos...
... Agora nos detalhes. Difícil achar um ponto que não agrade. mais difícil foi selecionar as fotos, eu queria publicar todas!
Que modelagem a Puma tinha, digna de qualquer grande montadora.
Uma imagem sem igual.
Nos pequenos detalhes, como os parafusos das lanternas é que vemos a qualidade do veículo.
Brilhar é com o Puma e este faz jus a sua origem.
Os vincos são perfeitos, nem arredondados, nem afiados demais. Os pneus que vieram de Garibaldi com perfil 60 foram substituídos pelas medidas originais.
O motor original exibe a caixa de ventilação na cor preta, como devem ser os modelos a partir de 1979. O distribuidor centrífugo, alternador e o acionamento dos carburadores original exclusivo Puma.
Este acionamento foi desenvolvido em substituição ao anterior, para executar a mesma função, contudo sem ter que soldar o suporte na caixa de ventilação dos cilindros. Com isso, evitou a necessidade de pintura desta.
No porta-estepe, digo, porta-malas, tudo original, excetuando-se o emblema da cara da fera na forração. A cinta de fixação do estepe é na cor correta, um bege acinzentado e o reservatório de freio (no caso o grande com dupla capacidade) e lavagem do para-brisa ainda são originais e em perfeito estado.
Até a plaqueta de identificação está muito bem conservada.
O detalhe da antena fixa com a base de mola, muito usada na época, virou febre em substituição as antenas de varão.
As calhas - que equiparam os primeiros Puma em 1968 - deixaram de existir a partir do modelo com chassi de VW Brasília, retornando em 1979. Neste Puma elas estão perfeitas. O espelho que deveria ser o de "raquete" foi substituído por um alternativo, similar ao espelho copinho Puma, agradando bastante.
Internamente é sempre a parte crucial de um veículo antigo e neste não é diferente. O volante original de fácil aquisição deu lugar a um bem parecido, com formas retrô. Os instrumentos são originais, assim como os interruptores em teclas e botões.
A tampa do porta-luvas apesar de ser original, com o puxador e fixação de velcro, ganhou o antigo emblema Puma GT, do porta-luvas do modelo anterior. Isso se tornou quase padrão, porque este emblema era muito querido e a Puma errou ao retirá-lo.
Os bancos ainda originais, porém com novo desenho das costuras e revestimento em couro...
... Apesar disto, os cintos ainda permanecem como há 30 anos.
Digno de entrar para a galeria dos THE BEST OF PUMA.

27 comentários:

Alex Z disse...

Felipe, é este mesmo o dito cujo! Estava certo no comentário anterior ref os bancos.

O carro é excepcional, sem comentários, mas gerou algumas dúvidas por aqui.

1) frisos: ainda em 80 poderiam ser prateados? Tinha para mim, como lei, que deveriam ser rpetos desde 79-2série.

2) lanterna traseira: também, deveriam ter pintura preta ao redor?

smarca disse...

Esse Puma tem um defeito gravíssimo que ninguém notou: ele não é meu!

Hahaha ...

Carro limpinho, do jeito que eu gosto.

Além das dúvidas do Alex, você comentou sobre o reservatório duplo de fluído de freio, mas pela foto me parece um simples, igual ao meu 78.

O acionador dos carburadores é igual ao meu 78, item que gerou dúvidas no passado. Mas ainda tenho uma dúvida: no acionador o que vemos são as rótulas maiores, padrão Puma, inclusive com as travas. Mas e nos carburadores, que tipo de rótulas são? Iguais às que ficam no acionador ou são menores, padrão VW e sem a trava. Ainda não tenho esta questão sanada e tenho curiosidade.

O que é aquela pequena peça em cima do painel no extremo esquerdo dele numa das fotos? Só curiosidade.

Felipe, você publicou sobre os consoles Puma até 1976 1a. série, mas ainda nada sobre os consoles posteriores. O desse GTE 80 é menor que o do meu GTS 78, então devem haver diferenças. Que tal um posto sobre esse assunto para fechar o assunto?

Tatu disse...

As observações dos amigos procedem, estão realmente diferentes daquilo que estamos acostumados a ver, cabe ao mestre Felipekeno polegar sanar as dúvidas, abrç Tatu.

Benício disse...

Parabéns ao dono do Puma pelo esmero e ao Felipe pelas fotos e explicações. Estou verificando que o motor dessa Puma está muito parecido com o meu - exceto pela bagunça de fios causada pelo módulo de ignição assistida - mas o bichinho tá ronronando tão macio que isso não me incomoda. Vou tentar explorar vocês um pouquinho para ver se consigo esclarecer umas dúvidas que sempre tive:
1- Para que serve aquele fusível perto da bobina? ( O meu inclusive tá desligado.)
2- Os lugares corretos de passagem das mangueiras de combustível são esses da foto? (no meu a mangueira de saída da bomba sobe na vertical e vai para trás do motor onde há um "T", cada ponta vai para um carburador.
3- E os dois filtros? Parece uma boa... Já pensei nisso antes mas nunca executei.
4- Esse tampão preto atrás do motor, veio com ele ou é uma adaptação? (o meu tem um corte meio tosco e dá para ver parte da transmissão pelo buraco)
5 - E finalmente, o meu distribuidor também parece ser original, a numeração dele termina em 050. Já pensei em trocar por um 009 com sensor hall, será que fica melhor que o módulo de ignição assistida?
P.S. O suporte do acionamento do acelerador é exatamente igual a este da foto.
Grato antecipadamente, um abraço e bom fim de semana a todos.

Anônimo disse...

MOTIVADO POR ESSA POSTAGEM!

Tb fui 'de SP a BH-MG' em Puma da frota ...à festa de '5 anos de nossa formatura'.

Mas o campeão era o Lettry:

- "O 'Miton Masteguin' garantia que ele, 'Jorge Lettry', ia muitas vezes por ano até Porto Alegre, em boa velocidade e em pouco tempo!"

(Ronaldo)

smarca disse...

Benício, algumas dúvidas posso tentar responder, as demais só com os feras.

2) Já vi as mangueiras passadas de todas as formas possíveis em Pumas e em VW a ar, de maneira geral, inclusive da forma que descreve seu carro. Diria que, independentemente da forma de passagem ser original ou não, a forma que como está nesse Puma é a mais limpa visualmente. Está exatamente assim no meu carro.

3) Desnecessário 2 filtros. E ainda há a polêmica sobre se deve estar antes da bomba de combustível ou entre a bomba e a linha para os carburadores. Já houve discussões sobre esta questão antes. Pessoalmente tenho um único filtro antes da bomba de combustível.

4) É uma adaptação. O que chama de corte tosco por onde se ve parte da caixa de transmissão é por onde a ventoinha capta o ar para a refrigeração do motor. Qualquer impedimento ali tende a fazer a temperatura do seu motor trabalhar mais alta do que aquilo que seria normal. O que existia era uma manta com um acabamento aluminizado, se não me engano. O Felipe pode dissipar melhor esta questão de acabamento da parede de fogo dos Pumas.

5) Tenho um distribuidor Hall no meu Puma e só o fato de não ter que trocar e regular o platinado me dá grande satisfação. Fora o fato de, como disse, o sistema manter-se permanentemente em forma. Não conheço o esquema de ignição assistida, mas imagino que qualquer organização da fiação em um chicote apropriado resolveria o problema visual que alega ter no seu carro.

Apenas mais um detalhe, a mangueira do respiro do óleo do carter deveria ser transparente. A que está instalada parece uma mangueira do sistema de radiador de algum outro carro. Mas isto é apenas detalhe diante do padrão de qualidade deste GTE que, realmente, impressiona.

[ ]s.

smarca disse...

E já que aqui, ao que parece, é o local dos chatos, tenho mais uma dúvida a perguntar aos feras:

Se observarem nesse GTE a pintura da carroceria atrás das rodas traseiras, na parte inferior, notarão que ali está um pouco mais grosso, como nos carros atuais, de modo a minimizar batidas de pedra levantadas pela roda traseira.

Originalmente era assim? Se for aprendi mais uma.

Sergio Tempo disse...

Ao Benicio, o fisivel proximo a bobina é das luzes de ré.

Felipe, qto a antena, o correto não é do lado direito??

Diante do meu comentário e dos demais, isso não tira nenhum mérito da qualidade desse Puma, que alias, esta show de bola

Luby disse...

Belissimo carro.... parabens ao feliz prorietario desta raridade impar.

branquinho disse...

Oh inveja boa... parabéns...

Alex Z disse...

Felipão, é impressão minha ou o carro está com vidro elétrico?

Anônimo disse...

Felipe
Só hoje vi a terceira parte da reportagem ,que acrescentou mais imagens do belo carro que ela retrata.
Como falou Sandro Marca ,o maior
defeito deste Puma é não me pertencer (apesar de estar muito
contente com o meu ! ).
Abraços.
walter ramos

Cesar Costa disse...

Como o meu vai entrar na faca este mês, mais perguntas:

1- Este bege metálico é o mesmo do opala 78?

2- A caixa do motor do 77 é preta ou prata?

3- E os frisos das lanternas traseiras? Pretos ou pratas?

Felipe Nicoliello disse...

Alex,
Sim, os frisos eram em preto fosco automotivo, mas muitos não gostavam e mandavam trocar. Como se v~e as lanternas já foram substituídas e o Airton ainda não providenciou a pintura das bordas em preto, mas isso vai acontecer.
Sandro,
Estava com medo do seu olhar, o Airton caprichou tanto para as fotos e passou nos teste do Sandro: Puma limpo!
Urgentemente você precisar ir ao oftalmologista trocar seus óculos, o reservatório é duplo sim.
Somente quando eu olhar o carro novamente para ver as rótulas.
Sei lá que peça é aquela, parece não pertencer ao carro, porque em outra foto ela não estava ou preciso de óculos novos também. Airton, que peça é aquela?
Sobre os consoles, a partir de 1976 é aquele console que todo muito conhece, então não é tão importante assim, mas farei a publicação. O console deste Puma não é original, é somente parecido.
Não era assim, isso foi largamente utilizado em meados de 80, o famoso batida de pedra. Alguns passavam com pincel fincando rústico.

Benício,
As mangueiras de combustível originalmente passavam pela frente, infelizmente. Como visual e tecnicamente pela parte de trás é melhor, porque fica longe da fiação elétrica e dá um aspecto mais limpo.
Os dois filtros não há tanta necessidade, instalar antes da bomba já resolve para tirar a sujeira vinda do tanque. Mas se este estiver muito sujo, não há filtro que aguente.
O tampão traseiro é uma manta fonoabsorvente. Originalmente o material era inferior, mas também tinha. O buraco que se vê o cambio, no GTS é mais perceptível que no GTE, devido a estrutura da carroceria.
As outras questões já lhe responderam.
Ronaldo,
Viajar de Puma naquela época deveria ser o máximo.
Sergio,
Não existia padrão para instalar antenas, normalmente instalavam do lado direito. Com o passar do tempo, os proprietários começaram a requisitar a instalação do lado esquerdo (motorista) para dificultar o vandalismo, afinal a antena ficava do lado da calçada. Ainda mais neste tipo, que balançava, a criançada adorava mexer. Já do lado da rua a coisa dificultava um pouco.
Luby e Diogo, e vcs só viram por foto...
Alex,
Está sim, parece que já estava desse jeito e o Airton não tirou.
Walter,
Também acho, se fosse meu, aí que eu não encontraria nenhum defeito.
Cesar,
O bege do Opala tem dois, em 78 bege areia metálico e 80 dourado palha metálico. Ele está mais próximo do bege areia metálico.
A caixa de ventilação dos cilindros é prata, a partir de 1979 passou a ser preta e os frisos que eram cromados passaram a ser pretos na mesma data.

UFA! Acabei de responder...

Rafael disse...

Estou impressionado...
Me dá mais vontade ainda de cuidar do meu..
Abraço

smarca disse...

Ahhh ... o Felipe está de gozação!

Duplo o reservatório do fluído de freio?

Não há 2 reservatórios e 2 bocais na foto nem em sonho.

Com relação ao acionamento que substituiu o anterior, sem soldas na ventoinha, acho que podemos afirmar que foi ainda durante 78, provavelmente no segundo semestre, pois o meu motor da série BA (original do meu GTS fabricado em 14/ago/78, segundo o certificado do Rossatto - ) já possui esse acionador. Correto Felipe?

Oftalmo ... eu hein? Hahaha ...

ramoswr disse...

Paa o Sandro Marca :

Gostaria que me tirasse uma duvida :
que distribuidor Hall é este ?
No meu carro (gte/75 com carburador Weber 40 - corpo duplo
- opcional da época), tenho distribuidor Bosch , com platinado de Kombi 1200cc , dificeis de encontrar . Outro dia me deixou na mão pq "colou ".
Talvez até mude o sistema , se for vantajoso , mesmo que perca sua originalidade .Abraços
Walter Ramos

smarca disse...

Depois do distribuidor com platinado surgiu o distribuidor indutivo e finalmente o distribuidor hall, que foi o último a ser aplicado nos motores VW a ar.

O distribuidor indutivo é aquele que faz conjunto com um módulo de ignição eletrônica que tem uma caixa maior de alumínio. Esse módulo permite reparações, inclusive.

O distribuidor hall faz conjunto com um módulo de ignição eletrônica menor e blindada.

Para adaptar é necessário conhecer a curva característica do distribuidor do seu motor, se com avanço a vácuo ou não e se o motor é movido a álcool ou gasolina para encontrar o distribuidor indutivo ou hall que melhor se adapte. Às vezes é necessário também adaptar os pesos centrífugos e/ou molas do avanço centrífugo.

Parece complicado, mas não é. É até bem simpes. Qualquer eletricista profissional pode lhe dar as informações que precisa.

E adeus platinado! Essa é a melhor parte.

Benício disse...

Sandro, Sérgio e Felipe, não ficou nenhuma dúvida, muito agradecido pelas respostas.

Walter, eu também estou pesquisando o sensor hall.

Estou usando atualmente um módulo de ignição assistida que é vendido pelo Marcelo Tonella, um rapaz muito atencioso e honesto.
Há muita informação sobre esse módulo na internet e uns videos nesse endereço: http://www.youtube.com/user/marcelotonella?gl=BR#p/u/14/FfbPwiyGniY

Esse módulo não elimina o platinado, mas ele passa a funcionar com uma corrente muito mais baixa, que praticamente não provoca queima e desgastes, evitando regulagens frequentes.

Uma das coisas que gostei neste sistema é que dá para usar uma bobina Bosch KW 067 (a famosa vermelha, que fornece uma faísca muito boa) sem necessidade de pré resistência.
Outra vantagem é que não precisa mudar nenhum componente original, apenas ligar o módulo, e isso pode ser revertido facilmente. Além disso é baratinho.

Eu estou satisfeito com o módulo, mas tenho a impressão que o sensor hall é ainda melhor, especialmente do fabricante Pertronix se usado em conjunto com a bobina desse mesmo fornecedor. Qual distribuidor usar ainda é uma incógnita.

Mas é quase certo que, mais cedo ou mais tarde vou acabar trocando o módulo atual pelo sensor hall.

Ignição eletrônica propriamente dita não está nos meus planos - não sei se dá bons resultados em motores VW a ar carburados. Alguém sabe?

Abraços a todos

Felipe Nicoliello disse...

Sandro,
Duplo quer dizer um GRANDE que cabe o dobro de líquido do reservatório simples. Eu não disse que são dois reservatórios... Tá bom, vou corrigir.
Como você sabe houve pequenas grandes mudanças em 1978 sem obedecer uma data ou lançamento, portanto em 1978 teve o reservatório simples, dois reservatórios e o duplo, digo, o GRANDE. rsrsrs

smarca disse...

Felipe ... ahhh ... agora entendi!
Duplo = grande
Duplo não é necessariamente dois.

Ok ... então ... o do meu GTS também é duplo, dos grandes.

Benício, pesquise também ignição eletrônica/distribuidor hall da Robert Bosch, o equipamento original dos últimos VW a ar fabricados.

No momento certo e, se for o caso, posso ajudar, bem como outros realmente feras no assunto - eu não sou - sobre o(s) código(s) do(s) distribuidor(es) mais adequados e suas respectivas curvas.

smarca disse...

Em tempo ... o sistema com ignição eletrônica Mini TSZ (se não me falha a memõria, vejo depois)/distribuidor hall da Bosch permite utilizar a bobina vermelha 067 sem pré-resistência.

Benício disse...

Sandro, eu acho que esse o sistema de ignição eletrônica para VW a ar foi desenvolvido para motores com injeção. Não sei se vale a pena para motores com carburador.

Quanto ao tipo de distribuidor, minha tendência é manter o original (se é que o Bosch 050 equipava originalmente o Puma 79).
Minha única restrição a esse distribuidor é que já experimentei o tal "flat spot" (hesitação especialmente notada quando da troca de marchas ou em retomadas) que é uma característica própria dos distribuidores puramente centrífugos. Essa característica não existe nos SVDA (vácuo+centrífugo).

Mas acho que não há linha de vácuo nos carburadores originais da Puma (não que eu lembro de já ter visto) e minha tendência é manter também os carburadores originais.

Talvez uma boa solução de compromisso para atualizar o motor para uso em cidade e estrada seja o distribuidor original + sensor hall (ou ignição assistida)

Abraços

Anônimo disse...

Felipe,

-"Viajar de Puma naquela época..."

O melhor era q o Puma 'aceitava mto bem' grandes reduções de marcha, numa tocada mais esportiva.

Aquele pneuzão traseiro era tb p/ isso mesmo.

(Ronaldo)

ramoswr disse...

Ao Sandro e Benicio

Obrigado pelas informações.
Este blog realmente é uma mina de ouro sobre o assunto Puma .

Felipe

Esta é para vc :
Caso eu mude o sistema de distribuidor do meu carro , posso perder pontos par conseguir a placa preta? Não altera a originalidade ?

Walter Ramos

smarca disse...

Mecânica vale 31 pontos na avaliação.

Desse total, 13 pontos do Motor, sendo 10 pontos do Bloco do Motor/Coletores, 3 pontos do Carburador/Filtro de ar e 3 pontos do Distribuidor/Cabos de velas.

O item Distribuidor/Cabos de velas não tem pontuação intermediária, ou valem 3 pontos ou zero.

Felipe Nicoliello disse...

Walter,
São só três pontinhos, não cria grande crise na avaliação, desde que o Puma tenha um bom grau de originalidade, porque se tiver que passar raspando, esses pontos podem fazer a diferença.