segunda-feira, 9 de maio de 2011

Tomada de ar GTE Spider / GTS / GTE após 1976

As tomadas de ar para o motor do Puma conversível (GTE Spider) quando foi lançado tiveram que estar em outro local diferente do Puma coupé (GT e GTE). Para isso a engenharia Puma colocou a entrada para refrigeração do motor no capô traseiro. Inicialmente no GTE Spider eram duas tomadas que mandavam o fluxo de ar para o compartimento interno do motor.
Elas eram contornadas por um filete na cor preta e ao fundo uma tela de alumínio laminada na carroceria.
Mesmo com o opcional do aerofólio, as tomadas eram no mesmo lugar.
No Salão do Automóvel realizado em dezembro de 1972, a Puma apresentou as novas carrocerias para o Puma de 1973, com muitas diferenças nas proporções, mais nítidas no modelo coupé (tubarão).
No novo GTS 1973 - novo nome do Puma conversível - a tomada de ar passou a ser única no capô traseiro. No mesmo formato e sistema, apenas maior por serem unidas as duas tomadas anteriores.
O sistema de fluxo de ar do modelo Tubarão considero mais eficiente, porque o ar entra quase direto na traseira da caixa de ventilação dos cilindros (capela). No conversível até 1976 1a. série, o ar percorre todo compartimento interno do motor para chegar na entrada da ventilação forçada. Por isso a manutenção da borracha que isola o compartimento do motor do conversível, da parte baixa e externa do motor é muito importante, para que o ar quente que passou pelos cilindros e foi expulso na parte externa inferior, não entre no compartimento interno do motor, para não ser levado novamente a "capela" e fazer a refrigeração com ar quente, não refrigerando nada.
Em 1976, as novas carrocerias adotam nova entrada de ar e novo sistema de ventilação. Agora os dois modelos Coupé e Conversível utilizam o mesmo método.
O local de entrada ficou mais para o centro do capô e adotava duas grades de filetes metálicos pintadas em preto fosco automotivo.
Mais tarde, para facilitar a produção, as grades eram confeccionadas em plástico ABS preto.
Elas eram de fácil instalação, fixadas por pequenos parafusos pretos nas extremidades, dando um acabamento requintado ao carro, além de exercerem bem suas funções.
Na foto abaixo vemos o local onde são encaixadas as grades das tomadas de ar e seu formato, com duas aberturas no alto do capô.
Depois de pintado o veículo, a parte interna da placa direcional do ar era pintada de preto fosco automotivo, como na foto abaixo. Pintava-se também de preto fosco o centro entre as duas grades (divisória), para que depois de instaladas as grades, não apresentasse a divisão. Na foto ainda não foi pintada.
Depois de instaladas as grades, com o centro pintado de preto fosco.
Na foto abaixo, vemos um Puma que não foi pintado o centro, aparecendo um tracejado da cor do carro, não muito bonito.
O alinhamento das grades eram no mesmo nível do capô, sem estar ressaltado ou abaixo.
O funcionamento do sistema de entrada de ar do novos Puma eram mais eficientes que os anteriores conversíveis.
Como vimos anteriormente, embaixo das grades existia uma placa que direcionavam o ar a abertura no alto do capô. Pelo lado interno do capô podemos compreender melhor o fluxo do ar, que era dirigido por cima da "capela" passando para sua parte traseira, onde existe o local de captação do ar para o ventilador, que forçará este ir para os cilindros, refrigerando-os e sendo expulsos para baixo do veículo. O princípio é o mesmo desde o projeto de Ferdinand Porsche para o Fusca, mas se não conhecê-lo, podemos fazer bobagem.
No Puma P-018, como nos AM1, AM2, o sistema adotado era o mesmo dos modelos GTE, GTS, que passou o mesmo para o GTI, GTC, que acabamos de mencionar, com o mesmo sistema e as mesmas grades. Muda apenas nos modelos AM3 e AM4 Coupé, que tem uma grade de saída de ar, ao invés de tomada, afinal utilizam motor (AP 600 e 800) refrigerado a água. Curiosamente o Puma AM4 Conversível, também com motor AP800, tem as mesmas grades dos GTE /GTS, mas suas funções são diferentes, elas captam o ar e mandam direto para o radiador na traseira.

13 comentários:

Afonso disse...

Muito bem explicado,sem dúvida nenhuma.

Luby disse...

Otima materia...

ramoswr disse...

Felipe

Tenho a mesma sensação que vc quando comenta que a carroceria do PUMA GTE até 1975(Tubarão ) ,proporcionaria uma melhor tomada de ar para o motor.
A propria anatomia da carroceria, com suas entradas de ar seria responsavel pelo fato.
No modelo GTS - 1976 , que ainda mantem a traseira mais inclinada que os posteriores , tb dá a sensação de melhor ventilação .
Parece que estas "impressões"não causaram transtornos maiores no sistema de ventilação .
De toda maneira , a matéria está bem ilustrativa e muito intuitiva.
Parabéns.

Walter Ramos

smarca disse...

No meu Puma 78 o meio da fibra onde as grades se encaixam não foram pintadas de preto automotivo, estando da cor da carroceria.

Uma maneira de contornar isso é retirar as grades, aplicar fita adesiva preta no local e instalando por cima as 2 grades novamente.

Ainda não fiz isso apenas por preguiça de ter que retocar de preto a cabeça dos parafusos, que sempre acabam marcados pela chave Philips.

Stael Alves disse...

Santa preguiça hein, Sandro!

Como gostaria de enxergar essas grades de alumínio produzidas na ferramentaria da Puma. Ronaldo e PS podem falar mais destas, em post passado já tivemos falando disso.

Abraços
Stael Alves

Anderson Lira disse...

Felipe,

Gostaria de ver uma postagem sobre o conjunto da entrada de ar frontal, com a explicação sobre as borboletas que existem abaixo do painel.

Abraço

Felipe Nicoliello disse...

Muito obrigado Afonso, Luby e Walter.

Anderson,
Veja em http://www.pumaclassic.com.br/search/label/Ar%20Interno

beto disse...

0la. pelo que observo na tampa do motor que esiste um asautor porque o ar quente que acumula dentro do motor tem que sair ok oque funciona melhor e o espartano 1972 que o ar entra pelas laterais e sai por sima da tampa e debaicho do parachoque.

Felipe Nicoliello disse...

Beto,
Acho que vc está fazendo uma confusão tremenda ou eu não entendi.
O compartimento do motor é isolado e lá só entra ar frio, para ser puxado pela ventoinha da caixa. O ar quente está depois que passa pelas camisas e sai por baixo, por isso o Puma tem aquelas aberturas na saia traseira, para melhor fluir o ar quente que passou pelas camisas. Agora exaustor? Não entendi.

béto disse...

ola turma decupeme se eu tiver errado mas tenho um puma gte 1972 que esta em reforma a um bom tempo ele tem entradas de ar nas laterais tubarão a tampa do motor e aquéla grande com duas gradinhas e na parte de sima e debaicho dos parachoques traseiros tem uns furos redondos quando o motor esta quente os gases saem tipo evaporação por sima da tampa e por baicho dos parachoques é oque observei. um forte abraço a todos

Luiz Alberto Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
béto disse...

OLA AMIGOS.gostaria de fazer uma observação para rematarmos as duvidas . acho que as tomadas de ar do puma tampa traseira e os furos de baixo do para choque traseiro faz as duas função.CAPITA E EXAUSTA.capita em quanto esta em movimento e exausta em quanto ta parado. um abraço de puma a todos.

Anônimo disse...

Meu puma tem a grande de alumínio!!