quarta-feira, 16 de junho de 2010

Anuncio (73) Concorrência

Logo que foi lançado o VW SP, o marketing da VW tentou agredir seu concorrente direto, o Puma. A engenharia já havia feito sua parte, colocando as tomadas de ar na coluna traseira, imitando as tomadas "tubarão" do Puma. As maçanetas muito parecidas com as de Puma, que eram do Fissore; o batente na porta igual aos Puma até 1972; console central até o término dos bancos (coisa não comum para época); rodas de magnésio, que no final, antes de entrar em produção foram cortadas pela VW devido ao alto custo e o motor, que deram uma mexidinha para ganhar alguns cavalos a mais que o Puma.
O interessante que a VW não conseguiu arrebatar os consumidores do Puma, criando um novo nicho de mercado, desconhecidos até por eles: o consumidor de esportivo dos interiores do grande Brasil, além dos consumidores tradicionais e fieis a marca, que poderiam enfim ter um esportivo atual, deixando o ultrapassado Karmann Ghia de lado. Veja mais sobre o assunto no www.fuscaclassic.blogspot.com.

4 comentários:

Goodtimes disse...

É, mais uma vez me convenço de que o papel aceita tudo, visto que a "realidade era bem diferente, com os "Sem Potência 2" levando baile dos Puma...
Mas, mesmo assim, continuo gostando mais dos SP2, hehe...

Anônimo disse...

O Sp2 superou 10 mil unidades em apenas quatro anos e o Puma 23 mil unidades em 15 anos o acabamento interno do SP2 é indiscutivel tudo em couro muito bem acabado ainda bem que existia SP2 e Puma hoje tenho um SP2 Placa Preta e mais 2 Pumas na minha garagem e todos os dois modelos são lindos e estão indo para fora do Pais, França,Alemanha,Canada etc

Felipe Nicoliello disse...

Luciano, o grande problema do SP2 na realidade foi o motor "deitado", difícil de "mexer" para aumentar a potência, porque não sobrava espaço no compartimento do motor. Esse foi o grande erro da VW. No mais, o SP 2 seria um forte concorrente ao Puma.
Anonimo,
Para um produção como da VW, dez mil carros em 4 anos era muito pouco, já na época. Para a pequena Puma, 9051 unidades do modelo conversível em 13 anos era uma vitória. Diferenças do tamanho do investimento, que no caso da VW, não interessava uma produção tão baixa pelo espaço que ocupava na linha de montagem. Se O SP2 tivesse condições de receber um motor melhor, talvez tivesse tido um sucesso bem maior.

Anônimo disse...

Independente se houve uma concorrencia ou não temos que agradeçer pela criatividade da industria Brasileira estes 02 modelos fazem o maior sucesso aqui no Brasil e lá no exterior quem tem um SP2 ou Puma muito conservado não troca não vende e as propostas são tentadoras já estão levando para França, Alemanha hoje um modelo bem conservado chega a custar até 50.000,00 vamos agradecer a nossa Industria Brasileira Made in Brazil.