sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Notícias - Enchente em São Paulo

As enchentes que assolam a cidade de São Paulo fazem diversas vitimas, entre elas a Puma Industria de Veículos S.A. localizada no bairro do Ipiranga, na Av. Pres. Wilson. Apesar de ser sabido que o local é passível de enchentes, onde todos os moradores e indústrias ali localizados contam com barreiras de proteção para barrar o nível da água, desta vez foi insuficiente, subindo o nível para mais de dois metros. Dentro da Puma a imagem é assoladora, deixando vários veículos zero quilometro em baixo d'água.
Bem que a notícia poderia ser atual, a única coisa que mudou em São Paulo foi a extinção da fabrica Puma. O ocorrido da foto aconteceu no verão de 1981, onde a Puma perdeu milhares de cruzeiros nas instalações e produtos ali contidos.

12 comentários:

Alex disse...

Diante de um infeliz lançamento, uma catástrofe para terminar...

saruê disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Dr. JMM disse...

não vejo como infeliz lançamento, "data venia".
Infelizmente a nossa pobre (e brasileira) Puma, sofria golpes de tudo quanto é lado.
Mas pelo menos, não é de todo ruim.
Algumas unidades sobraram pra nós. uma pra mim, inclusive.

Bipacheco disse...

Em que pese o humor negro, mas EU GOSTO DE PUMA ATÉ DEBAIXO D'AGUA....rsrsrs.

Felipe Nicoliello disse...

Por causa de um Gambá, que se esconde pelo pseudonimo de Saruê vou ter que moderar os comentários e estes ficaram a espera de eu ler.
Pessoas assim, que estão na vida para destruir, que não tem a mínima capacidade de fazer alguma coisa boa, se escondem, não mostram a cara porque além de inúteis são covardes.
Esse gambá não deve ter nascido, foi expulso, para não dizer outra palavra!
Além disso deve gostar de apanhar por isso provoca as pessoas. Será uma bicha incompreendida ou uma mulher mal resolvida? Porque homem eu tenho certeza que não é!

Dr. JMM disse...

hehehehe..e eu fui bobo, nem tinha visto que era "o figura". se tivesse percebido, nem tinha gasto vela com defunto ruim..hehehheehehe.
quem me dera encontrar um puma, hoje que nem este, era só lavar, polir e no maximo trocar a forração. um sonho.

Alex disse...

Zé Maria, me referi em infeliz lançamento pois queira ou não o modelo não teve uma aceitação muito boa no mercado. Atrelado a isso, os demais fatores e a catástrofe, não tem quem aguente.

Dr. JMM disse...

sim. sem problemas amigo.
Tinha que ser assim. Nossa querida puma tinha que ter agonizado, de outra forma, nao gravaria seu nome na historia automobilistica mundial, como a maior fabricante de esportivos com identidade própria. Tinha que ser.
Doutra forma, te digo que, cada um gosta de um modelo em especial. eu particularmente nao gosto de alguns, mas nao revelo, para nao gerar celeuma. prefiro dizer que gosto mais de uns que de outros. Mas te garanto amigo, do jeito que a coisa vai indo, até os emblemas pumas serao disputados no tapa, quem dira seus carros.

Alex disse...

Concordo com você quanto a raridade. Particularmente acho bonito o GTI.

Felipe Nicoliello disse...

Meninos Alex e JM,
O Alex bem jovem, nem tinha nascido, o JM um pouco mais velho, era criança na época, portanto vocês não tem aquele filme que passou dos anos 60, passando pelo 70 e indo para os 80. A moda é uma coisa inexplicável, ela toma certos rumos, ditados por muitas coisas e não por apenas um fator. Nos carros, como em tudo, é a mesma coisa, só que cada setor com seu caminho. Então naquele tempo, o desenho era determinado pela simplicidade, sem grandes exageros, sem cromados, partindo para a cultura da cor unica, remetendo o veículo a uma peça só, sem separação de linhas e formas. Nesses anos os carros começaram a ter peças de plásticos nos para-choques, muita borracha e pouco cromado. Algumas fabricas já aboliam o cromo dos para-choques. Os faróis e lanternas não tinham mais as molduras ou contornos e já não existia mais frisos cromados nas laterais, sendo substituídos por borrachões. E os recem lançados Dogde Dart (última série) repletos de cromados e detalhes de luxo, andavam na contramão dos tempos.
A simplicidade imperava e neste contexto, o Puma era bem atual, adaptando suas linhas ao novo conceito. Um senão fica por conta das lanternas traseiras de VW Brasília, que não seguiam bem a linha do Puma, mas era o melhor que podiam fazer, pois eram dependentes das lanternas existentes no mercado, devido ao alto custo de moldar uma lanterna exclusiva. No Brasil, não tinha grandes coisas em lanternas e para importação era proibido.
Portanto, o Puma GTI / GTC era um carro atual, seu grande problema sempre foi a motorização, uma faca de dois gumes, por um lado era bom, econômico na manutenção e resistente, por outro sofria de falta de potência.

Anônimo disse...

A produção da Puma era tanta q no final dos anos 70 havia um Puma em cada esquina em SP:

- "...então tinha q mudar mesmo, mas na visão retrospectiva pesa muito o aspecto nostálgico dos primeiros e raros modelos!"
(Ronaldo)

Daniel Pardo disse...

Mas nessa região da Presidente Wilson, se eu não me engano, tem enchente até hoje.