sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Depoimento de apaixonado por Puma

Recebi esta carta do meu novo amigo Enio Brandenburg , jornalista, residente em Joinville-SC, que me foi apresentado pelo outro amigo Drausio, também de Joinville. Transcrevendo para vocês, por ser um relato interessante, que muitos se identificarão e com uma grande verdade no final.
"Caro Felipe,
Ontem, acessei o Puma Classic, e nas postagens de novembro vi aquele GTS 80 branco com interior marrom e capota bege. Que carro inteiro e original, não ??? Pois é, lembrei então dos Pumas zero km que na época eu ia "namorar" numa loja chamada AF Automóveis, aqui em Joinville. Era multimarcas (novos e usados), e o dono sempre trazia esportivos zero, como Puma, Miura e MP Lafer, entre outros. Com esse interior marrom/capota bege, vi GTS 80 nas cores verde água metálico, que saiu bastante em todos os modelos (era um tom "parecido" com o verde-mantiqueira metálico da linha VW 78 e 79) e verde cactus metálico (um tom verde-musgo). Havia também o azul-vincennes metálico, mais raro, que lembro de ter visto apenas com interior preto. Em junho de 1980, estava em São Paulo e visitei a concessionária Irmãos Reps, de São Bernardo do Campo. Ainda recordo dos preços que me foram informados para os carros novos: Cr$ 400.144,00 o GTE, Cr$ 432 mil o GTS e Cr$ 868.625,00 um GTB/S2. Ou seja, um S2 custava exatamente o dobro de um GTS. Até comentei isso com o Dráusio na semana passada. Como aqueles "cruzeiros" já sofriam com o dragão da inflação, quatro meses depois os números já eram bem maiores .... Em outubro de 1980, vi os primeiros GTI e GTC (modelo 81) na concessionária Corujão, em Curitiba (VW e Puma). O GTI custava Cr$ 565 mil e o GTC Cr$ 650 mil. Na infância e adolescência, as concessionárias sempre foram o meu verdadeiro "Parque de Diversões". Assim, muita coisa ficou na memória, tantos anos depois. Cores, pequenos detalhes, e até o cheiro novo do estofamento de cada modelo. Sinto alguma saudade daqueles tempos, mas, afinal, a vida tem que andar para frente. Hoje, já não existe mais o mesmo carisma, o automóvel tornou-se um mero objeto de consumo, nada mais. Abraço, Enio Brandenburg "

6 comentários:

Leo Gaúcho disse...

Putz!Muito bom!

Dario Faria disse...

Olá!
Eu tenho um livro do Enio autografado e as informações deste livro são muito detalhadas e precisas e sei que ele escreve alguns artigos em revista que leio quando são publicadas e isto sempre com informações ricas em conteudo. Seja bem vindo Enio!
Dario Faria

smarca disse...

Azul Vincennes Metálico ... a cor original do meu Puma e eu nunca vi uma foto nem nada dessa cor.

Talvez nunca a repinte de outra cor numa futura reforma, sempre necessária com o passar dos anos, até porque hoje, se fizesse isso, viria uma observação no documento, mas gostaria de conhece-la, vendo um Puma numa foto de época nessa cor.

Minha curiosidade ainda não foi satisfeita, quem sabe um dia!

sergio disse...

Tbem tenho um exemplar do Livro do Enio, muito bem escrito, rico em detalhes e fotos.
Fica aí uma sugestão para presentear amigos aficcionados por antigos
abs

Mico disse...

Boa Felipe, to vendo que só da Joinville no teu Blog. Vais ter que trazer sua "fera" para um encontro aqui em Joinville.
Quem sabe, fica ai uma meta para
2010, um grande encontro de pumas aqui em Joinville, com você junto, participando da organização e seu puma exposto. Grande Abraço, Fabiano K - GTE 1977 - Jlle/SC.

Felipe Nicoliello disse...

Fabiano,
Quem sabe juntos não promovemos um encontro do Puma Classic em Joinville no ano que vem?