segunda-feira, 22 de abril de 2013

Puma de amigo - GTE 1978 Bege Champagne

 O Puma GTE 1978 é do meu amigo Marcelo David, sócio do Puma Clube, que o comprou há quase um ano, em estado de muita originalidade.
As lanternas traseiras de cor única para seta, lanterna e freio, como mandava a legislação naquele tempo. A bela cor original Bege Champagne Metálico - Ford 1978 sofisticou o Puma.
 Os faróis de bloco ótico bi-iodo na cor amarela era o máximo da moda dos esportivos. O espelho direito não existia, coisa das necessidades atuais para se locomover nos grandes centros com avenidas largas e diversas faixas de rolamento.
 As rodas de raios curvos sem polimento, originais Puma de outubro de 1975 até 1978.
 Abrindo a porta somos recebidos pelas laterais com costura eletrônica e a rara soleira de borracha na cor cinza.
 Entrando encontramos outra raridade, o volante de dois raios, que equipou o Puma a partir do chassis com número começado por SP 102... e foi até meados de 1978. O modelo que substituiu os tradicionais volantes de três raios desde 1965, nunca foi bem aceito, mas visava uma ótima leitura dos instrumentos do painel. Mesmo tecnicamente correta, a Puma teve que se render aos pedidos e voltou com o volante de três raios, mesmo antes de lançar o modelo 1979.
No painel encontramos os botões originais, inclusive a tecla de acionamento do lavador de para-brisa.
 Internamente o Puma continua o mesmo desde 1978, apenas a forração dos bancos foram substituídas, como o mesmo desenho original.

 O GTE está sempre ao lado do seu irmão mais novo, o Puma GTC.
Como ficou com o mesmo proprietário por 32 anos, ninguém retirou o emblema do concessionário Comercial MM...
... O berçário onde nasceu. A capa da MM, chaves originais, Manual do Proprietário e Livrete de revisões do motor, ainda existem e estão com o veículo. O livrete da Pirelli, o primeiro à esquerda, eu conto em outra publicação. 
O motor foi o que sofreu mais alterações. Os filtros, distribuidor com avanço rápido, sistema de aceleração e cor da ventoinha foram alterados. Como era comum comprar motor VW novo, tirar o velho e colocar o zero km, sem problemas de numeração, muitos foram substituídos.
Apesar da cinta do estepe estar bem gasta, com marcas do tempo, ela é original, que deverá receber um "pano" novo. O pneu de estepe ainda o Pirelli CN36 e a sacola de ferramentas. 
A cada dia que passa, me espanto com a aparição desses monumentos preservados e vai aparecer mais ainda, aguardem!

9 comentários:

Artur disse...

Felipe, meu 78 tbm tem a capela preta e nunca foi prata! Sera que nao houve uma "serie" de 78 com capela preta?

Felipe Nicoliello disse...

Artur,
Pode até ser, mas não existem registros do assunto.
Para saber se isso ocorreu mesmo, teríamos que ter um carro 78, com numeração do motor original e acionadores do acelerador original do 79, não acionador de Brasília ou outros inventados. A Puma parou de pintar a capela, quando mudou o acionador de aceleração dos carburadores.

walter ramos disse...

Quem não se admira ao ver um carro assim?
Acima de tudo tem-se que parabenizar o antigo dono pelo carinho como tratou seu carro . De quebra , tb dar os parabéns a quem o comprou .
Que sorte hein parceiro !!!

Walter

Benicio disse...

Muito bonito o Puma e parabéns pelo dono pelo excelente estado de conservação.

Mas vai um alerta: Essa mangueira de combustível passando colada à bobina está perigosíssima. Não é incomum a bobina esquentar excessivamente, o suficiente até para derreter a mangueira!

Também não gosto dessa posição do filtro de combustível - se resolve vazar a gasolina vai direto para o distribuidor - cheio de faíscas.

É bom também observar as áreas de atrito entre o motor e as mangueiras, que pode resultar em abrasão e vazamento.

Eu particularmente, instalei meu filtro de combustível atrás do motor, próximo à caixa de marchas - ali pelo menos não há faíscas.

Também comprei (mas ainda não instalei) mangueiras para injeção eletrônica que são muito mais resistentes e duradouras que essas de "3 real o metro".

Estou procurando também um T metálico, ao invés desses de nylon, achei um numa loja de ferragens mas ficou muito fino, resolvi não usá-lo.

Bom lembrar também que há um pedaço de mangueira que sai por debaixo do tanque e que normalmente recebe pouca ou nenhuma atenção. E também o tanque de combustível, na parte não visível (que fica faceando a fibra) está sujeito ao enferrujamento pois no local mencionado há acúmulo de umidade.

E finalmente, boas braçadeiras e injetores novos (de preferência Solex) também são um ótimo investimento, pois podem prevenir muitas lágrimas - bom lembrar que fibra pega fogo e rápido!

Benicio disse...

E se ainda ficou alguma dúvida: https://www.youtube.com/watch?v=xXpWSQpLi5k

Anônimo disse...

Sorte mesmo Walter, e umas dicas preciosas do Felipe!!!
Ótimas dicas Benício! Já tinha mexido na posição das mangueiras quando fiz a revisão (essas fotos aí já tem um tempinho)!
Abraços
Marcelo

F@bio Xavier disse...

Olá ó grande sabio dos Pumas, eu estou perto de abracar um GTE ano 77 e no momento estou brincando de jogo dos 7 erros tentando encontrar tudo o que está faltando no meu carro, já que ele já esteve abandonado por um tempo e o ultimo dono comecou a reforma.

Eu gostaria de saber para que serve a alavanca ao lado do freio de mao, o cara que me mostrou o carro também nao soube me dizer.

Vinicius Pagliarin disse...

Pessoal,

Acabo de adquirir um PUMA gte 1980/80, e o mesmo não possui essa alavanca ao lado do freio de mão e nem os botões que ficavam ao lado esquerdo do volante no painel.

Quando fui comprar o carro não me atentei á esses detalhes, então poderiam me dizer qual a função dessa alavanca? E o meu painel deve ter os botões de acionamento do lado esquerdo?

Abraços,

Vinicius Pagliarin

Clenio Pacheco Guimarães disse...

Felipe,
E pode trocar o motor? Tem o numero gravador na plaqueta interna do capô dianteiro?