terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Espartano - Recriação (3)

Na Oficina Fauscar, o Puma #48 recebendo tratamento no motor. O meu amigo José Martins, que gentilmente me forneceu a foto, disse que essa oficina posteriormente foi comprada pelo Miguel Crispim.
Continuando os trabalhos, agora fazendo o recorte na traseira para saída do ar quente do compartimento do motor, exatamente como era.
A abertura pronta a espera do acabamento e da grande em formato de persiana, inventada pelo Miguel Crispim, que será colocada no final.
No último sábado tivemos a honra de contar com os ensinamentos do ex-piloto do Puma #48, meu amigo José Martins (D). Para fiscalizar e palpitar os serviços do Benê (ao centro), o meu amigo Irineu Desgualdo Junior, o futuro piloto do #48.
Com o mestre José ao lado, o Benê começou o corte da tomada de ar para os freios traseiros.
Sempre com a fiscalização do Irineu e supervisão do José Martins.
A tomada ocupava parte da porta...
... Sendo necessária a abertura na coluna para passagem de ar para a traseira. Claro que sempre ponho a mão na massa.
E aí está a conclusão dos trabalhos, faltando a ligação traseira e acabamento.
Max, o dono da oficina, como um bom chefe, sempre sentado apreciando os trabalhos.
A tomada do outro lado (motorista) ainda sem o corte na coluna.
Na dianteira a tomada de ar para os freios dianteiros eram generosas e assim serão executadas.
As tomadas prontas, faltam fazer os copos para receber os faróis de milha, bigodes e encaixe para o radiador de óleo, no local onde vai a placa de licença.
Agora nas tomadas de ar para o motor, os orelhões. Corte para receber a fibra.
As tomadas sendo laminadas pela parte interna.
No detalhe o vão que se tem para trabalhar a laminação interna.
Depois a laminação externa e futuras correções e ajustes que vocês ainda irão ver.
O início do alargamento do para-lama traseiro, com uma casquinha de fibra no formato necessário será colada à carroceria.

12 comentários:

Mauricio Morais disse...

Felipe, esse carro vai pra pista mesmo? Merece ficar só exposto.

Stael Alves disse...

Felipe dá gosto de ver essa obra. Uma pena que diversas outras que já vi pela internet, não tem esse principio de reconstrução histórica e são apenas para destruir nossos belos pumas.

Luby disse...

acompanhando...

gustavo disse...

Lindo trabalho felipao!!
Ficarei daqui das zuropa de olho :)
Ja pensaste reproduzir em serie? Comprador tem....
abracao

Anônimo disse...

Dá até vontade de fazer o alargamento do para-lama traseiro no meu. Lindo !!
Abraço
Rafael Maia

EGO's disse...

Lindo trabalho, jóia rara! Parece ser exagerada quantidade de apendices para refrigeração do motor...Para quem teve um Puma com motor forte sabe.

Luby disse...

Pergunto : este carro tinha freio a disco traseiro? qual o ano da puma que esta sendo transformada?
abs
Helio Mendonça

Artur disse...

Parabéns pelo projeto. Com certeza o carro final valerá de todo o trabalho!
Como todos, também estou acompanhando o processo.

Anônimo disse...

Foi ficando difícil (caro!) vender os motores preparados para 'uso normal':

- Mas era um grande prazer acelerá-los, motor girando alto!

(Ronaldo)

Ricardo Thome disse...

Qual era a motorização do Espartano?

Cada vez, que acompanho essa restauração, fico com mais e mais vontade de mandar fazer a minha.

Mas de Março agora não passa!

O Domingos da SportDaf vai fazer a minha... :D

Benicio disse...

Olá, estou acompanhando e aproveitando para aprender um pouco:)
Aproveitando o gancho, hoje vi uma bastante simpática loja de peças de Pumas, neste endereço:

www.purringpumas.com/Home_Page.php

Eu não conheço nenhuma assim aqui no Brasil, será que existe? Se não existe... bem deveria.

Ricardo Thome disse...

Oi Benicio!

Eu também já tinha visto a loja desse cara. Ele se chama Alan d'Escragnolle
e a loja dele fica na Califórnia/EUA.

Eu tentei importar algumas peças dele pra minha Puma aqui, mas infelizmente ele não exporta pro Brasil.

Segundo ele, um lugar ótimo para comprar peças novas/usadas é o Sambódromo em SP, que ocorre toda terça-feira a noite.

Eu nunca fui no encontro no Sambódromo, alguém tem referências? Sabe dizer como funciona o comércio de peças por lá?

Abs pessoal.