quarta-feira, 30 de maio de 2012

Fato de época - Lemos & Brentar

Por Claude Fondeville
Uma pequena história que começou tirando uma foto quando eu tinha os meus 15 anos.
Estamos em 1961, ainda me faltavam alguns anos para tirar carteira, mas como qualquer adolescente era apaixonado por carro.
Estava com meu pai, a bordo do seu Peugeot 203, indo pela Rua Jardim Botânico quando peço a ele para dar uma parada, pois eu queria tirar a foto que vemos acima. Meu pai lia religiosamente a publicação francesa l’Auto Journal que comprava na Livraria Sauret no Copacabana Palace. Havia no jornal uma seção de fotos automobilísticas enviadas pelos dos leitores e então pensei, porque não enviar foto do Fusquinha dependurado na porta da garagem, dito e feito, mandei. Um mês depois, para a minha surpresa, recebi uma carta dizendo que eu era um dos contemplados, imaginem a minha alegria.
Mas para falar desse local deixo estas linhas para o Gustavo Lemos filho de Aluízio Lemos um de seus proprietários da Lemos & Brentar maior revendedor de veículos Puma da época:
“Este carro foi pendurado aí em 1959 e ficou até 1968, quando foi substituído pelo Puma. O Fusca foi comprado de uma seguradora e estava com o outro lado completamente destruído. A Lemos & Brentar começou como uma oficina chamada Auto Super..., com três sócios. Meu pai, Aluízio Lemos, em 1957 comprou a parte de dois e formou a sociedade com Albino Brentar. A finalidade era ter uma oficina e depósito de carros para sua locadora de automóveis, que só tinha Fuscas, na época ainda importados. Aluízio terminou a sociedade na locadora e resolveu explorar a oficina, que era especializada em VW (Fuscas e Kombis). Em 1960 foram nomeados concessionários autorizados VW e assim permaneceram até 66. Em 68, com o lançamento do Puma com mecânica VW, Jorge Lettry, que era sócio da fábrica e amigo de Aluízio e Albino, ofereceu a representação da marca ainda incipiente e com produção e mercado pequenos. A parceria deu tão certo, que a L&B tornou-se o principal distribuidor da marca após a Comercial MM de São Paulo, que pertencia a dois sócios da fábrica. O Puma foi colocado na fachada do imóvel à direita da foto em 68 e foi um presente da fábrica. Com a diminuição das vendas do Puma no início dos anos 80, Aluízio e Albino resolveram trazer para o Jardim Botânico a revenda de motos Honda que tinham na Gávea: a Setemo. A L&B funcionou até 1986, quando foi vendida para a Auto Modelo, que tinha uma concessionária VW na Lagoa e cujo dono resolveu incorporar o terreno, onde antes funcionava uma pedreira perto do Corte do Cantagalo“.
Em 10 de abril, no meu blog Arqueologia do Rio de Janeiro publiquei uma foto da Lemos & Brentar com os devidos comentários. Na ocasião troquei vários e-mails com Angela e Gustavo Lemos filhos de um dos proprietários da concessionária, Aluízio Lemos, a Lemos & Brentar considerado o maior revendedor de veículos da marca Puma. E nessa troca de correspondência pelo facebook vários outros amigos se juntaram ao papo eletrônico, e o grande desafio era conseguir uma foto do local com um Puma, ele que havia substituído o fusquinha com o sucesso e conseqüentemente a ampliação da revenda.
Para a nossa alegria Leonardo Brentar, filho do outro sócio da concessionária, o Albino Brentar, possuía a  foto que abaixo apresento. 

Claude Fondeville é presidente do Puma Club do Brasil - RJ.

7 comentários:

Comandante disse...

Caros colegas.
Saudações antigomobilísticas.
Parabéns pelo artigo. Também admirei muito essa imagem, do Puma pendurado, pois morei muitos anos no Jardim Botânico - RJ. quando servia no Rio de Janeiro.
Heriberto.

Anderson Lira disse...

Interessante também o Farus 929ML zeradinho no showroom....

Gustavo Lemos disse...

Novamente obrigado ao Claude por mais esta homenagem ao meu pai Aluizio Lemos e seu sócio Albino Brentar. Aproveito a oportunidade para colocar-me a disposição de todos para ajudar a esclarecer fatos referentes à História da Puma. Viajei diversas com meu pai até a fábrica e acompanhei muito de perto a trajetória da empresa. Um grande abraço a todos, Gustavo Lemos

Anônimo disse...

A todos .

Acrescentando aos comentários na frente da loja (com o Puma ) é o Albino , meu pai., Eu tenho as duas fotos originais se alguém necessitar uma copia escanada em alta resolução é só pedir.

Leonardo Brentar

Felipe Nicoliello disse...

Leonardo,
Mande para mim que eu publico.
felipenicoliello@gmail.com
abraços

Ubirajara disse...

Boa noite Leonardo, eu tive o prazer de trabalhar na Lemos e Brentar na década de 70, o meu nome é Ubirajara, eu fui o encarregado geral ( gerente), fui muito feliz naquela época em que trabalhar com o Aluizio e seu pai dava prazer. Tenho muitas saudades destes tempos, ainda tenho a carta de apresentação assinada por eles. Abraços.

ubirajara disse...

Lembro ainda com saudade quando por volta de 7:20 da manhã, eu e o Aluizio ficávamos como dois malucos tomando cafezinho no páteo da Lemos e Brentar de cócoras e fazendo traços imaginários no chão para coordenae o funcionamento da oficina e analizando o dia anterior junto com a revenda honda, o curioso era o Sr. Narcizo que aquela época já tinha 81 anos. ficava tentando entender o que nós estávamos fazendo ali.Era muito bom.Leonardo o meu email é UROPARJ@GMAIL.COM , se você ainda lembrar eu não eswqueço aquele 20 de janeiro que trabalhamos e você passou o dia inteiro me chamando pelo serviço de alto falantes como o Mário fazia. Abraços