sexta-feira, 22 de março de 2013

MAIS UM - Puma GT DKW

Aconteceu em Erechim-RS 
Foi encontrado parado há anos em uma garagem um Puma GT DKW 1967. A proeza foi do meu amigo André Luís Mohr. Na cara dura, bateu na porta e pediu para ver e fotografar o carro, com a intenção de comprá-lo. Para seu desespero o proprietário não vende. Também não conseguiu o número do chassis para colocarmos na Relação dos Puma DKW sobreviventes, mas ficou a promessa de voltar e conseguir esse número com o proprietário, Sr. JCZ, que pretende restaurá-lo. Segundo mensagem recebida de Roberto Nasser, curador do Museu do Automóvel de Brasília, o André poderia ter olhado o número de identificação do chassi, gravado na estrutura da suspensão frontal, onde está o radiador.
Na dianteira falta a grade original de frisos horizontais.
 As bolhas de acrílico não existem mais, nada que não posso ser refeito.
 As lanternas dianteiras, oriundas do Fissore DKW, estão surradas com a lente gasta, mas mostram sua originalidade com bastante idade.
 O motor ainda original DKW de três cilindros, três bobinas, três... Tudo três e 1000 cc de cilindrada.
 Em relação ao DKW, o radiador do Puma era colocado em posição mais baixa, devido a altura do capô. Por isso utilizava bomba d'água, que o DKW não tinha.
A integridade nos principais detalhes são ótimas neste Puma. Maçanetas originais e quadro dos vidros de portas.
 No detalhe o espelho formula 1 e braços dos limpadores originais.
 O vinco na traseira para disfarçar a tampa de gasolina, detalhe criado por Anísio Campos. E as raras rodas "leve-ligeira", originais, que tinham o aro de liga de alumínio e centro (miolo) de aço estampado.
 Faltam as capas cromadas dos para-choques, muito fácil de mandar fazer. Importante ter as lanternas e dobradiças originais, bem melhores que as reproduções. A lanterna de placa não deve estar lá ou não tem a moldura cromada de acabamento dessa lanterna. Há algum tempo fiz uma moldura dessa para um GT DKW, me deu muito trabalho, mas o resultado ficou perfeito.
O emblema Puma GT ainda é original. Percebe-se não se tratar de reprodução pela definição e acabamento do metal.
E o mais raro, ainda conta com o emblema do concessionário Vemag de Porto Alegre-RS, a Karl Iwers. A história desse piloto, pai do grande preparador de motor 2 tempos e piloto, Henrique Iwers, cunhado de outro grande piloto, Jan Balder, podemos ler no blog do meu amigo Mestre Joca.
O painel, apesar dos 46 anos está em bom estado e original. 
 O porta-luvas, uma peça de muita utilização, está perfeitamente encaixado, tendo pequenas folgas em poucos lugares.
 Os instrumentos são de origem da linha DKW, com exceção do conta-giros ao centro, exclusivo do Puma GT DKW.


O volante Formula 1 da Fittipaldi não está mais lá, o atual é moderno, idêntico ao do MP Lafer, mas com uma curiosidade, o raro botão de buzina Puma. Pouquíssimos volantes Formula 1 em Puma tem esse emblema original com a cara da fera, normalmente vemos o emblema da Fittipaldi. 
Outro detalhe que até hoje só encontrei em um  Puma DKW, o friso divisório no teto. Mais comum ver nos Puma VW de 1968 até 1972, esse friso já existia no modelo de 1967 e poucos sabem disso.
 Os bancos não parecem originais, o tecido é moderno. A soleira também não original, pois a utilizada era a mesma que encontramos no Puma até 1976 1a. série, com desenho parecido com aqueles famosos chinelos.

Conclusão: Um belo exemplar que ainda está guardado. De fácil restauração, é só uma questão dinheiro, pode ser tornar um exemplar de referência.

8 comentários:

Unknown disse...

Felipe,
e as rodas Mangels com miolo de ferro e aro de alumínio, cada vez mais raras.
abrç
Mário QMário?

Luby disse...

MEU DEUS !!!!!!!!!!!!!
isto´´e um milagre..

Adão Emilio disse...

Habemos Pumas

Ricardo Luis Delai disse...

A aproximadamente 3 anos encontrei esse exemplar e depois disso nunca mais tinha o visto. Tinha algumas fotos dele no meu finado perfil do orkut. O André até insistiu pra mim falar com a dona mas como não tenho afinidade com ela ele tomou coragem e bateu na porta de cara e coração vlw André realizou teu sonho....

Comandante disse...

Caro Felipe,
Saudações antigomobilísticas.
Aproveito a oportunidade para desejar a todos os antigomobilistas e respectivas famílias uma feliz Pascoa.
Heriberto.

Luis Wynns disse...

Amigo Felipe, toda vez que vejo esse antigo modelo, fabricado pela Puma, me faço uma pergunta, como teria sido os carros Pumas, se a parceria com a DKV, tivesse continuado, o modelo VW, ja era um projeto, ou veio so mesmo pra substituir os GT Malzone, tipo um um plano "B", como teria sido a evolução dos Malzones, sera que teriam o mesmo sucesso que os modelos VW, gostaria de saber sua opinião, e dos amigos

Felipe Nicoliello disse...

Mário, eu tinha esquecido de falar sobre isso, mas o Nasser me alertou e depois vc tb.

Obrigado Heriberto, igualmente para todos da família.

Ricardo, quando somos apaixonados por um modelo, nada nos impede de correr atrás, nem a timidez.

Luís, O Puma VW foi criado as pressas. Talvez se a DKW sobrevivesse, o Puma continuaria com a mesma mecânica até a DKW alterar, que foi um tendência mundial de acabar com os motores 2T. Mas mesmo assim, o Puma VW iria nascer, os motores VW boxer ganhavam a cada dia mais adeptos nas pistas por colherem resultados. O caminho seria diferente, mas o final o mesmo.

Luby disse...

Creio que o proximo passo seria a instalação dos motores dkw de 6cc que ja estavam desenvolvendo na Alemnaha..imagina um bicho deste com motor 2 T de 6 CC seria um foguete mesmo...
Uma Otima pascoa para os amigos e em especial para o Felipe e toda sua familia...
Abs
heio Mendonça