quarta-feira, 18 de abril de 2012

Quebra-cabeça (29) Resposta

Cansei de esperar e aí não teve jeito, vai a resposta correta e completa para a pergunta "Quais os possíveis anos desse modelo de Puma GTB? E por que chegou nessa conclusão?" publicada no Quebra-cabeca (29).
1974 e 1975. Por causa do para-brisa de canto reto, usado no GTB de 1974 até o primeiro trimestre de 1975. Até essa data existe confirmação, mas pode ter se estendido até o meio do ano, depois mudou para canto arredondado.  Esse é o principal detalhe existente na foto abaixo, porque grades, lanternas e pequenos itens são alterações corriqueiras, ainda mais em GTB. 
Na outra foto, os detalhes marcantes para demonstrar se tratar de um GTB 1974 ou 1975 são o vidro traseiro, que da mesma forma do para-brisa, antes era quadrado e depois passou a ser arredondado. Os cantos da tampa do porta-malas também deixou de ser anguloso para se tornar um desenho mais harmonioso, além de facilitar a fabricação e manutenção. Outro detalhe importante na fotografia é não vermos a tampa do tanque de gasolina, denunciando se tratar dos anos citados. Se fosse 1975 da 2a. série ou 1976, o bocal estaria visível na parte superior do para-lama, na direção do final da caixa de roda. 
 Na foto abaixo da revista Autoesporte de março de 1974, o GTB era aquele carro que esteve na exposição em Bruxelas em 1973. Na verdade esse Puma era o GTO com algumas mudanças, se preparando para a linha de montagem. Uma delas foi o bocal do combustível, que no GTO era na coluna direita. Nesse carro ainda vemos os limpadores cruzados, oriundos do GTO, mas aplicado na linha de produção do GTB.
Aqui no detalhe a localização da tampa de um GTB todo alterado, mas mantinha o bocal, vidro traseiro e capô originais.
Uma coisa todos temos que saber, uma peça ou parte do veículo pode ser substituída ao longo dos anos para versões modernas, mas nunca haverá o contrário. Claro que toda regra tem exceção e os jovens estão começando a executar também essa modalidade de modificação, com Puma que nunca teve bolhas nos faróis e aparecem com elas. Ou Fusca da década de 60, travestidos para os anos 50. Quando isso se popularizar, vai dificultar muito a vida da gente.
Então, o chaveiro fica para o próximo Quebra-cabeça, por que nesse, quem chegou mais perto foi o meu amigo Leandro de Londrina, que faltou falar sobre o bocal do combustível. Uma pena, ele sabia, mas a pressa talvez o fez esquecer.
Quanto as maçanetas que muitos citaram, desde os primeiros GTB, as maçanetas de botão, chapa reta, igual as maçanetas das Tubas 73 a 75, foram utilizadas até 1977, sendo mudadas no final desse ano, pelas maçanetas de botão, chapa chanfrada, iguais aos dos Puma GTE /GTS de 1978 a 1980. Mudança promovida junto com as lanternas de Alfa e painel traseiro. Já a grade similar ao modelo do LTD, a mudança ocorreu em 1976.
Só por curiosidade, o GTB que serviu de modelo para esse Quebra-cabeça é 1974, do meu amigo Cesar Freitas do Rio de Janeiro-RJ, sendo até o momento o mais original da primeira série, que se tem conhecimento. A grade não estava no carro quando da foto, por enquanto, a grade original continua na  prateira até ser plenamente restaurada.

2 comentários:

gabriel disse...

Assim não dá Mestre na proxima o camarada terá que dá uma de Rasputim, de homem passaro ou de capitão caverna. ou então consultar o olho de Tandera na espada justiçeira pois cada dia tá ficando pior, eta chaveiro difiçi da gota

iRineu disse...

Se eu acertasse um terço dessas pegadinhas, tinha passado com folga em qualquer concurso pra cargo público bem remunerado. He he he...