sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Puma de amigo - GT Malzoni 1966

O GT Malzoni 1966 é do meu amigo Fabio Steinbruch de São Paulo, colecionador e escritor, que há pouco lançou o livro "Memórias Sobre Rodas 2 - O Automóvel no Brasil na Virada da Década de 1960 para 1970", além dos outros: "Memórias sobre rodas - O automóvel no Brasil dos anos 1960" e "Automóveis no Brasil - Marcas que o tempo não apaga".
Atualmente são muito raros os GT Malzoni, afinal foram fabricados apenas 50 unidades e nem todas sobreviveram, principalmente porque sua grande maioria foi carro de corrida. Aqueles que ainda "vivem" estão em perfeito estado de conservação.
Coincidentemente eu poderia chamar esse GT Malzoni de "Puma de amigos", porque na década de 70 ele foi de outro amigo: Hélio Mendonça do Rio de Janeiro, mais conhecido por Luby, que vendeu o carro em 1977... Ele terá uma surpresa ao ver o carro.
Diferentemente do Puma GT DKW, o GT Malzoni traz os para-choques abaixo da grade dianteira, para-brisa mais reto e limpadores não cruzados.
Na lateral e traseira a grande mudança em relação ao GT DKW (efetuada por Anisio Campos), vigia mais curto, traseira truncada, porta-malas menor, para-choques na linha inferior e lanternas redondas.
As lanternas eram importadas e vinham de outro felino, um inglês: Jaguar.
As portas simples e sem grandes estruturas para não cria peso.
Internamente era bem simples, só o essencial. O Volante era da marca Walrod, mas nesse caso está com um volante esportivo muito utilizado em carros de corridas da década de 70, o Fittipaldi.
Os bancos eram assim mesmo, simples, sem reclinadores, nada de luxo, só tinha que fazer uma função: segurar o piloto. Claro que tudo dentro dos conceitos da época.
Mesmo assim, com toda simplicidade exibida, o teto chama atenção, com um acabamento peculiar e bonito.
Aqui mostrando três gerações do Puma Coupê, ainda faltariam mais três para ser completa. O GT Malzoni, o Puma GTE (1973 a 1975) e outro GTE (1976 a 1980). Faltam o GT VW (1968 a 1970; GTE (1970 a 1972) e GTI (1981 a 1984).

7 comentários:

Luby disse...

Quem diria ................
O meu mazone 66 que vendi em 1977 sndo post do mestre Felipe o pior de tudo que aquele carro pelo que jo vejo tem uma aurea boa pois ´praticamente do dia que vendi tira a cor que era azul continua a mesma coisa, ate os bancos são os originais/ os memsos .............

Mauricio Morais disse...

Que post legal, e o testemunho do Luby só trouxe mais emoção à matéria.

Ricardo Thome disse...

Belo post, mas serei sincero. Acho muito bonita a frente do Malzoni, mas a traseira... kkkk.. num dá pro meu gosto...

Acho as puminhas com lanternagem de variant as mais bonitas, seja GTE ou GTS.

Alex disse...

Existem réplicas dessas lanternas no mercado?

Fico pensando, sonhando em um desses em restauração precisando de tal peça.

Felipe Nicoliello disse...

Luby,
Gostou da surpresa?

Ricardo obrigado. Concordo, prefiro a traseira do Puma DKW ao do GT Malzoni, mas é claro que o Puminha veio para agradar a todos!

Alex, acho que não, mas não deve ser difícil encontrar na Europa.

Anônimo disse...

Quem gosta da traseira dos GTE/GTS com lanterna de Variant não deve ter feito manutenção no motor.

Ô acesso maldito! O capô do motor é pequeno e estreito demais.

Os GTE/GTS com lanterna de Kombi são bem melhores para quem gosta de fuçar.

:)

Irineu

Luby disse...

Show Felipe, gostei muito.....