terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Caminhões Puma (01)

Algumas pessoas não sabem, verdade, já me deparei com amantes da marca Puma que não sabiam do setor de Caminhões da Puma, então vamos falar um pouco desse tema, que adoro muito, o primeiro caminhão que dirigi era um Ford 1948 cambio seco e freio sem hidrovácuo, isso em 1973, o bicho já era velho aqui na empresa e era utilizado como caminhão pipa para irrigação dos jardins. Sempre fui apaixonado por caminhões, em especial o Puma, por ser revolucionário em design e detalhes técnicos. Aqui não vou contar toda história, principalmente a técnica por ser longa, mas em um futuro livro quem sabe. Muitas coisas técnicas sobre o assunto aprendi com o Engenheiro Ronaldo Brochado, que trabalhou na Puma no final dos anos 70 e começo dos anos 80 e fui a ele apresentado pelo Newton Masteguin.
Aqui um pequeno depoimento do Newton, filho do Milton Masteguin, um dos antigos donos da Puma:
"As cabines nasceram para atender a necessidade de empresas como Ultragás e Coca-Cola que tinham muitos problemas com a ferrugem das cabines de chapa, especialmente em entregas no litoral e, o negócio deu tão certo que acabou se transformando em uma nova divisão de negócios da Puma, comum caminhão inteiramente projetado por ela (e depois bastante copiado em alguns detalhes por outra montadora) assim como linha de chassis de micro ônibus, caminhão elétrico, etc. Newton”.
Aliados ao problema de ferrugem, que era muito drástico para quem não podia parar com a frota, a capacidade de carga era muito importante, porque essas empresas até hoje fazem entregas urbanas e necessitam abranger um número maior de clientes em sua rota de entregas. Hoje em dia a coisa é bem setorizada nas grandes cidades, mas na época, uma frota atendia a cidade inteira. Então a Puma desenvolveu a cabine "cara chata", chamada de CABINE FRONTAL PUMA, para ser colocada em caminhões Chevrolet, Ford, Dogde e outros. A adaptação era simples, mudava-se a caixa de direção, os pedais e a alavanca do cambio, que lembrava os antigos ônibus urbanos, que vinha lá de trás. O restante dos componentes, fora vidros, utiliza-se do próprio caminhão doador, era só parafusar a cabine em cima do chassis do caminhão e estava pronto. A fibra dessa cabine era muito grossa, com a chamada "carga" no processo da fibra de vidro, para dar rigidez a um veículo de trabalho. Sei bem disso porque tive uma Cabine Avançada Leito (cabine dupla), que eu colocaria em um caminhão Dogde, mas depois a idéia não se realizou, piquei e joguei fora em 1998, dá para acreditar?
A Puma fabricava essas cabines em outra fábrica na Vila Prudente, um setor completamente independente. Isso aconteceu em 1970 e já nos primeiros anos de vida, o Caminhão Puma era alvo de olhares pelas ruas de São Paulo, com o emblema mais carismático que existe: Coca-cola. Eram caminhões vermelhos, cor bem viva, com cara futurista, carregando um produto muito adorado pela juventude. Não tinha uma pessoa ligada ao meio automobilístico que não comentava sobre o novo produto Puma. Existiam dois modelos distintos no desenho, o Luxo e Standard e em duas configurações, Cabine Frontal e Cabine Avançada Leito. Sobre o caminhão convencional, o Puma ganhava 1,07 m de comprimento linear no chassis, proporcionando 1/4 a mais de espaço útil para carga. Mesmo a Cabine Avançada, ainda era mais curta que a cabine tradicional dos caminhões comuns e o espaço interno era bem maior.
Depois disso a Puma desenvolveu um caminhão totalmente montado por ela, cabine, chassis, suspensão, freios e com motor es MWM ou Perkins a escolha do cliente, mas isso é outro capítulo, para ser contado junto com o primeiro Micro Ônibus a álcool do mundo, feito pela Puma, como bem lembrou meu amigo Marcos Pasini (ex-engenheiro Puma) no último sábado no lançamento de seu livro.
O modelo Luxo acima e o modelo Standard abaixo. O Caminhão Puma Coca-Cola (foto do modelo Luxo, mas a tinha também o Standard).
O destino da maioria, esse em um ferro velho de São Paulo.

15 comentários:

Cesar Costa disse...

Aqui no Rio todos os caminhões Puma da Coca-Cola eram movidos à gasolina, ao invés de diesel. Acontece que os caminhões eram de propriedade dos motoristas (a Coca financiava os bichos para eles) e como a empresa exigia a troca a cada dois anos, para manter a frota nova e com boa aparência, saia mais barato usar gasolina no lugar dos caros motores á diesel. enquanto os caminhões da Antártica e da Brahma eram velhos, sujos e com os entregadores parecendo mendigos, os da Coca eram limpos, novos e com entregadores uniformizados. Além disso, os próprios motoristas eram os vendedores. Na Brahma e na Antártica os vendedores passavam num dia e os produtos só eram entregues um ou dois dias depois. Depois não entendem o sucesso da Coca....

Leo Gaúcho disse...

Ótima esplanação Felipe!Eu realmente não sabia de tudo isso não!!!

Felipe Nicoliello disse...

Cesar,
Era bem por aí, aqui em SP tb era a mesma coisa. Apenas não era usual a utilização de motores a diesel em caminhões de até 6T, ficando somente para os mais pesados. Na época a gasolina não era tão cara.
Leo,
Isso é só o começo, a hsitória dos Caminhões Puma é muito grande, principalmente porque foi o último produto Puma a ser fabricado, tanto aqui, como no Paraná. Era um caminhão de sucesso, foi por isso que o Nivio comprou a Araucária, estava interessado nos caminhões, haja visto que a Alfa Metais era fabricante de eixos, semi-eixos, tambores e outros equipamentos para caminhões, inclusive para o próprio Caminhão Puma 4T. Essa vc tb não sabia, né? Aos poucos vc vai conhecendo toda a história da melhor fabrica brasileira de veículos, e tão cedo não nascerá outra.

Anônimo disse...

Felipe ainda precisamos achar uma imagem do PUMA 4T da SHELL no aeroporto Tom Jobim, Rio. Tinha meia cabine para dispor as grossas mangueiras de abastecimento dos Boeing 747. E era caprichado.

Anônimo disse...

Também têm os 'Puma 4T' do... 'Exército Brasileiro'. Pintados de forma caraterística.

Felipe Nicoliello disse...

Meu amigo, qual seu nome? Pergunto para saber a quem dirigir a resposta, pois vc deve ter percebido, esse é um dos poucos blogs, em que o blogger posta mais comentários que os blogueiros. Gosto de conversar e participar dos comentários. Quando não se coloca o seu e-mail, após escrever assine seu nome, pq mesmo que venha anonimo no cabeçario, seu nome está no comentário. Grato.
Voltando ao assunto, realmente existiram essas versões, o problema é conseguir as fotos, vou tentar por outros cantos.

Luiz Felipe disse...

Ñ podemos nos esquecer da FNM!!!

Fabrica naçional de motores

Anônimo disse...

FIQUE APAIXONADO PELOS CAMINHOES PUMA, QUE ATÉ RESTAUREI UM ANO 198O. FIZ UMAS MODIFICAÇOES. FIZ DELE UM CAVALINHO TRUCADO COM RODAS DE ALUMINIO, E VARIAS PEÇAS CROMADAS. COLOQUEI UM MOTOR DETROIT QUE É UM SHOW. ESTAREI COM ELE NOS DIAS 5 E 6 DE MARÇO PROXIMO EM SERRA NEGRA, NUM ENCONTRO DE CAMINHOES ANTIGOS. QUEM QUISER VE-LO, É SÓ IR LÁ. UM ABRAÇOS A TODOS.

Felipe Nicoliello disse...

Luís Felipe,
Claro que a FNM merece nossos elogios, grande fabrica, que ajudou no desenvolvido do Brasil. Mas o produto era um projeto italiano. Já os caminhões Puma foram 100% brasileiros.

Anônimo,
Gostei em saber do seu caminhão, gostaria muito de conhecê-lo, mande fotos para meu e-mail e o folder do evento que ajudo a divulgar.
felipe@pumaclube.com.br

Henrique paraiso disse...

Aqui é o Henrique de Paraiso mg. Quem Quiser ver um caminhao puma lindo lindo, entre no you tube com o titulo de caminhao Puma que tem um filme dele. Nos dias 15 e 16 de Outubro estarei com ele no encontro de Aguas de Sao Pedro. Tenho Certeza que é único. Um Abraço a todos

BROTHER disse...

porque o brasil é um dos maiores fabricantes de veiculo e tem chamado a atençao de todo o mundo e ainda nao produzimos um veiculo cem por cento brasileiro,sendo que tem chegado via importaçao produtos chineses como a chery e outros fumos que nem peças de reposiçao sao encontradas a venda no varejo? e agora estao querendo trazer um fuminho ou maconha estragada por nome de tata nano...melhor ressucitar o gurgel,puma,fnm...

marco antonio disse...

boa tarde, estou a procura da barra de direcao do caminhao puma, alguem sabe dizer de qual carro ela é.

Felipe Nicoliello disse...

Marco Antonio,
Tente na Master Fibras de Curitiba, com o Rossato, ele era diretor da Alfa Metais e pode saber.
Tel.: (41)3288 7088

Anônimo disse...

Boa noite pessoal, alguem saberia me informar as dimensoes do caminhao puma 6T, pois vou tentar fazer uma miniatura dele. Obrigado!!

Felipe Nicoliello disse...

Anônimo,
Veja em http://www.pumaclassic.com.br/2010/09/catalogo-puma-puma-6t.html