quinta-feira, 4 de março de 2010

Emblema da Roda Puma

A conhecida "calotinha" Puma também teve suas fases e colocações.
Os primeiros veículos, GT Malzoni, utilizavam as rodas do DKW e consequentemente suas calotas. Permaneceu a mesma fórmula para o Puma GT DKW...
...Nesse caso, poderia optar pelas rodas de liga, mas o emblema era da Mangels que as fabricava.
Com o surgimento do Puma GT VW em 1968, as rodas utilizadas eram de aço, oriunda do VW Kombi, porque eram aro 14", sendo na época o único VW com esse diâmetro de roda. Para isso a Puma mandou confeccionar uma calota de aço cromado e já colocou seu primeiro emblema.
No Puma GT de 1969, as rodas já eram as aro 13" de magnésio, as famosas "bolo de noiva", fabricadas pela Scorro, mas o emblema era do fabricante de rodas.
Como opcional, o cliente poderia optar por uma calota para colocar nas rodas "bolo de noiva". Eram de três pontas, uma alusão as rodas tipo cubo rápido, e nesse caso tinha o mesmo emblema utilizado nas calotas de aço cromado do GT 1968.
O GT4R utilizou as rodas "bolo de noiva" com a calota de três pontas, mas pintada de cinza escuro, igual ao miolo da roda.
Só a partir de 1970, com as rodas "tijolinho" entram em cena a famosa "calotinha" Puma. Ela era feita de plástico ABS, com as bordas e a cara da fera cromadas, o miolo em preto. E foi assim até 1980.
Abaixo uma roda de GTS GTE de 1976 a 1978 sem calota para se ter ideia do rebaixo de encaixe, para colar a calotinha.
Só a partir do modelo GTI, lançado no final de 1980, as calotinhas deixaram de ter a borda cromada para serem inteiras pretas, só com a cara da fera cromada, mas continuava sendo fabricada em plástico ABS.
Uma dica: Quando colar a calotinha, cole com silicone, porque se precisar tirar para balanceamento ou outros serviços, basta uma pancada com um bastão de madeira de dentro da roda para fora, que sai com facilidade e não estraga . Não se preocupem que rodando, mesmo em velocidade, o silicone não solta.

16 comentários:

Dr. JMM disse...

Ótima aula nobre "lord".
As rodas do Malzoni e DKW são show de bola.
As da 68, tenho aqui, inclusive com as calotas..hehehe

Hélcio disse...

Felipe, ótima aula! Sanei minhas dúvidas, rs. Obrigado por esclarecer meu e-mail.
Este é o blog pra qm qr apreciar uma boa aula de pumas...
abraços!

Fabio disse...

Felipe a minha é uma Tubarão 1976 estou pensando em colocar as rodas originais da gte chassi brasilia 1976 (gosto mais desse modelo de roda) isso necessariamente impacta na hora da vistoria para PP ou mesmo posso ser acusado de ser um fora da lei da originalidade?
Abraço e obrigado!

smarca disse...

Uma dúvida ainda: quando as calotinhas tinham a borda e a carinha cromada, de plástico ABS, as bordas eram retas como nas calotinhas posteriores com a borda preta e só a carinha cromada?

Pergunto isto pois um amigo comprou um GTS 78 (transformado para GTC) mas com as rodas originais (eu verifiquei) e com, o que parece ser, as 4 calotinhas originais em ABS.

Aí surge outra dúvida: ele gostaria de trocar essas 4 aparentemente originais (*) com minhas 5 calotinhas de borda preta (que substituí por réplicas de metal com as bordas cromadas).

Mas como estão desgastadas pelo tempo, queria saber se é possível recupera-las, especialmente no que diz respeito a cromeação.

(*) Trocar eu vou mesmo que não sejam originais, afinal as que eu tenho aqui com borda preta não tem serventia pra mim e o Puma dele ficará bem mais bonito com elas.

Então ficam mais 2 perguntas:

- Dá pra cromar novamente as calotinhas de plástico ABS?

- Tem como identificar a originalidade destas calotinhas de alguma maneira?

smarca disse...

Olhei com mais atenção (o projeto da calotinha) e notei que as bordas são retas. Esta dúvida já está sanada.

Agora restam apenas:
- Dá pra cromar novamente as calotinhas de plástico ABS?

- Tem como identificar a originalidade destas calotinhas de alguma maneira?

Felipe Nicoliello disse...

Esqueci de falar que a matéria foi sugestão do meu amigo Hélcio, de Vitória-ES, obrigado.

Fabio,
O seu Puma as rodas originais são as raiadas, com os raios curvos, iguais as primeiras com chassi VW Brasília. Não importa ser tubarão ou conversível com chassi Karmann Ghia, todos fabricados nos dois últimos meses de 1975 e principalmente TODOS fabricados em 1976 tinham essa roda.
Eu sou ruim mesmo, uma matéria tão questionada que ainda não publiquei, é prá judiar de vocês!

Sandro,
Coloquei o projeto por sua causa, te conheço...
- Dá para cromar novamente, mas todas as imperfeições existentes serão realçadas, a não ser que faça um trabalho de recuperação antes de cromar.
- Tem, mas somente um especialista pode fazê-lo, assim tipo como eu!!
Veja o diâmetro da calota, se for igual a da calota preta é réplica, se for um pouco menor é original.

smarca disse...

Legal Felipe!

Sendo originais ou não eu vou trocar as calotinhas desgastadas deste meu amigo pelas minhas novas de borda preta (o GTS 78 dele foi transformado para GTC e combina melhor, embora as rodas sejam originais - as 4 - e de 1978) que, por sua vez, foram substituídas por réplicas metálicas no meu GTS 78.

Se forem originais, melhor. Ele fica contente e eu também.

Se não forem, também ficamos contentes ambos, eu por ter ajudado um amigo e ele com calotinhas novas.

No momento certo eu tiro uma foto e mostro pra você, além de comparar o diâmetro como me ensinou.

A propósito, consegui quebrar a senha daquele banco de dados. Você sabe qual é.

Estou pensando em montar um banco de dados - front end - utilizando a back-end do kit e criando um formulário de pesquisa próprio.

A vantagem?

É que no futuro qualquer imagem escaneada seja da mesma publicação ou outras poderão fazer parte do banco de dados. Sacou?

No seu devido tempo eu digo procê como está a coisa. E, claro, não vou guardar só pra mim.

O problema vai ser encontrar tempo para fazer isto. No futuro eu farei, certamente, só não sei quando.

Pumaland disse...

Roda Tijolinho?
Ou roda Cruz de Malta?
Ó dúvida cruel... rsrsrs

Luby disse...

Bem ai vai depender do carro ....mas se for para aonde estou pensando é 100% Tijolhinho..
creio que seja ...

Marcelo disse...

Felipe,
boa a dica do silicone. Perdi uma calotinha (já reposta) andando no domingo.

EGO's disse...

Caro Felipe tive um Puma GTE 1976 no ano de 1985 e as calotinhas eram o modelo do desenho mas não em duas partes ( calota em ABS preto e logotipo em ABS cromado). As minhas eram injetadas em ABS numa uma única peça cromada e com o fundo rebaixado da calota pintado de preto com o logo cromado e o aro da calota mantendo o cromo. O carro tinha as 5 calotas iguais.

Edson Gonçalves

Felipe Nicoliello disse...

Péricles,
Puma 1972 é roda estrela, nem tijolinho, nem cruz de malta. Em 1972 a Scorro já tinha perdido o molde da tijolinho (segundo dizem), pode ser que algumas poucas 72 saíram com tijolinho. A Cruz de Malta (Malta Cross) só saiu em 1973, como opcional, ou seja, saía mais grana do bolso para tê-las.
Marcelo,
Agora vc não perde mais. Como foi a corrida?
Edson,
Amanhã vou pegar uma calotinha original e fotografar, aí coloco no blog. Ela está acabada, bem ruim, mas é original.

Leo Gaúcho disse...

Ótima aula!

Anônimo disse...

Felipe,

Neste 'desenho da calotinha', como era de costume na... 'Engenharia da Puma':

- "...fiz/assinei... o 'controle' e, depois, 'aprovei' o conjunto da obra!"

Abçs,
Ronaldo (...quero conhecer, ao vivo, 'Lord Phil' nesta semana entrante!)

Felipe Nicoliello disse...

Mestre Ronaldo,
Estou lhe aguardando!!!

Hélcio disse...

Não aproveitando da boa da reportagem, mas a quem interessar possuo 4 calotas 1980 acima para vender.

Felipão, desculpe ae usar como classificados sua reportagem, rs

abraços!