segunda-feira, 8 de março de 2010

Dia da mulher - Aventura de uma pumeira

Uma viagem contada pela minha amiga Mayane, de Foz de Iguaçu-PR a Blumenau-SC com seu Puma."Não muito depois de Cascavel, um Vectra preto, modelo antigo, me alcançou, daí eu, para brincar um pouco, comecei a pisar. Até então estava dentro da lei, mantendo os 120km/h (no Paraná o limite é 110, então com os 10% = 120). Pôxa, quando ele me alcançou, eu acelerei e comecei a manter nos 130km/h nas retas 140km/h. Fui dirigindo toda feliz. E o cara me alcançava. Ultrapassava caminhões, não demorava muito estava o cara atrás. Quando chegamos na polícia Rodoviária Federal, eu diminuí a velocidade, como de praxe. E fiquei acompanhando o cara pelo retrovisor. Queria acelerar gostoso depois de sair da polícia. E para minha surpresa, o cara entrou na garagem da polícia. Ele era PRF!!!! Mas, como até agora não recebi nenhuma multa... Então está tudo bem... Passando do pedágio em São José (já chegando em Santa Catarina), ela começou a falhar. Parei, dei uma olhada no óleo, uma conferida geral, a mangueira do suspiro do óleo estava solta e eu coloquei um arame (item essencial em viagens), para prender porque estava vazando um pouco de óleo. Dei mais uma olhada. Chamei o socorro e uma hora depois segui viagem, já que o socorro não veio, apesar de ser pedagiada e de eu ter ligado lá 3 vezes!!!! Até o presente momento estava mantendo uma média boa (uns 100...110km/h) daí resolvi pegar leve, afinal eu tinha saído de Foz as 5:30 da manhã e pisado um monte. Já era aproximadamente 14:20 da tarde, a partir de então, mantive os 80km/h.
No dia seguinte fui dar uma olhada no estrago, porque estava falhando. Foi quando descobrimos que na realidade, como eu havia mandado trocar o dínamo por um alternador, o rapaz não prendeu de volta os cabos de vela, sendo assim ficaram soltos e um deles ficou encostado no escapamento e acabou derretendo, então ela estava funcionando apenas em 3 pistões. Por isso quando eu exigia mais dela, ela falhava. Agora um calculo matemático: Abasteci na Argentina antes de sair, ela fez uma média de 14,15 km/l (pisando um monte na estrada!). Depois abasteci em Laranjeiras do Sul, a média caiu para 12 km/l (ainda estava pisando). A última abastecida foi em Campo Largo, a média voltou para 14,5 km/l (aí eu já não estava pisando, por causa do probleminha que deu e era serra a baixo). O que me faz pensar...por que a gasolina do Brasil não é pura, se fosse, ela renderia muito a mais do que rende hoje. No Renault do meu pai quando ele abastece com a gasolina argentina, ele rende 10% a mais do que a brasileira toda misturada. Se eu tivesse vindo tranquila sem pisar, ela teria feito uma média surpreendente (isso que meu carro estava MUITO carregado). Sou contra essa mistura toda que o governo exige. Se você vai em um posto colocar gasolina, que seja realmente gasolina e não quase álcool! Bem, fica registrada a minha aventura! Um abraço de fibra! Mayane Baumgärtner"

4 comentários:

canela disse...

Parabén por sua coragem!

paulo disse...

Parabens tambem pela aventura, destemida
Gostaria de saber qual o ano da Puma e a cor pois eu tenho uma Puma ao 78 GTE com a cor parecida e acho que foi repintada pois tem alguns pontos mal feitos preciso restaurar mas gosto da tonalidade

Abraço
Paulo

Anônimo disse...

Lembrando q o Lettry gostava de se deslocar, nos Pumas, a grandes distâncias nos fins de semana:

- "A saber, Porto Alegre-RS estava logo ali p/um felino mto bem animado p/ dono..."

(Ronaldo)

Anônimo disse...

Ci sonno 20 giornni per trovare questra vettura, dovve è? Riesco a vedere soltanto una bella ragazza. Che cosa fai da solla? F`attenzionne
Felicità per te.
PauloSérgio