segunda-feira, 14 de março de 2011

Perguntas e Respostas - GTE 1975


Pergunta:
"Tenho um amigo que está 'sedento' por uma puminha 68-75.... Ele está com uma dúvida, que acho que você pode nos ajudar: Puma 75 saiu com a "cara" da 76?? Sei que a Puma fazia carros sem muito critério como padronagens e etc... Por exemplo, eu tive dois 75 que eram bem diferentes entre sí - um com console e outro sem; tapeçaria diferente e etc., mas desconhecia mudanças de carroceria.... Citando Rolando Lero: (rs) 'Amado mestre', essa informação procede? Pode ter "saido" um 75, com cara de 76???"
Resposta:
Primeiramente em defesa da Puma, existia sim critério na fabricação dos Puma, não era uma fabrica tipo alfaiate, que fazia sob medida. Existia linha de produção e como tal não poderia fabricar a bel prazer, senão o conceito linha de montagem ia para o espaço.
Como toda indústria automobilística, promovia melhorias em seus produtos, sendo alterados para melhor em algum momento da fabricação, no caso de modelo novo ou por substituição de alguma peça não mais fabricada.
Isso que falam que cada Puma saía de um jeito é lenda. Acontece que a facilidade de promover modificações no Puma é bem maior que em outros carros normais e seus proprietários queriam exclusividade, começavam pelo carro que não era para o bolso de qualquer um. Não contentes gastavam mais dinheiro para dar seu toque pessoal ao carro. Isso falando somente na época dos Puma que eram novos. Com o passar do tempo, como qualquer carro, acaba em mãos menos providas de dinheiro e a manutenção, bem como a substituição de peças fica comprometida, optando sempre por alternativas mais baratas.
Para o carro colecionável chegar intacto depois de trinta anos, somente com um excelente dono. Por isso encontramos cada Puma de um jeito, mas na verdade ele tinha seu padrão, ainda encontrado hoje em dia em alguns carros, que nos dá a certeza do padrão, somados aos manuais, catálogos de peças e fotos de época.
Particularmente seus antigos Puma GTE 1975 eram carros restaurados, um do Rio de Janeiro e outro do Sul. O laranja o antigo proprietário colocou as bolhas no faróis porque gostava, sendo que o modelo não saía com bolha. O verde estava mais original, mas existiam diferenças internas, justificadas por ser um modelo exportação. Claro que o padrão exportação tinha certas diferenças, inclusive para mercados distintos, nem sempre eram iguais os Puma dos E.U.A. e os enviados à Europa, em função da legislação vigente em cada país. Agora justificar mudança com o título exportação, sendo que nem os exportados eram assim, não dá apara aceitar.
Outra alegação muito comum para justificar uma diferença entre carros são as séries especiais, existiram sim, mas não foram muitas e conhecemos todas elas.
Portanto Puma tinha um padrão e sempre foi respeitado, mesmo quando a fabrica iniciava sua pequena produção em 1967.
Quanto ao Puma GTE 1975 em questão tenho a relatar:
Em março de 1976 a Puma apresentou o novo Puma, com nova carroceria e NOVO chassis, agora o modelo utilizado era do VW Brasília, um pouco mais largo que o antigo chassis de Karmann Ghia. A carroceria mantinha a mesma aparência, com um novo desenho da lateral e traseira. Internamente era mais confortável devido à largura maior e mais alto que os antigos "Tubarões", podendo ser utilizado com conforto por pessoas mais altas.
Isso aconteceu somente a partir de março de 1976 no modelo GTE e logo depois no modelo GTS, porque até então, ainda eram fabricados os modelos com chassis KG, por isso encontramos "Tubarão" 1976.
O carro à venda nem um cabrito ele é (colocação de uma carroceria mais nova em chassis antigo, prática muito comum em Puma pela facilidade de trocar a carroceria), porque não daria para colocar a carroceria do 1976 no chassis KG do 1975, existem muitas diferenças. Ele tem chassis de Brasília, carroceria 76 e documentos de 75. Se consultar verá que o número do chassis desse Puma deve ser SP 143...alguma coisa, representando chassis KG, mas na verdade está gravado em um chassis de VW Brasília, que em Puma, deveria ter o número começando por SP 102...alguma coisa.
A história de cada Puma está documentada em diversos livros de registro com as numerações de produto, chassis, cambio, motor, cor, data de fabricação e concessionário que efetuou a venda. Os livros estão hoje com um antigo diretor da Alfa Metais e meu amigo Rubens Rossato, que fornece o certificado com os dados aos interessados mediante uma taxa. Talvez assim parem de justificar ações promovidas nos carros, botando culpa na Puma. É só consultar: Rossato (41) 3288 7088.

16 comentários:

Ariel disse...

Felipe, o Rossato teria algum e-mail?

Luby disse...

Os caras são Ninjas Felipe...

Artur disse...

Felipe, saberia dizer qual o valor da taxa que ele cobra?

branquinho disse...

Estou pensando aqui no certificado do meu Puma, que o Rossato fez, não veio qual foi o concessionário que efetuou a venda do felino... será que não existe para todos ou eu que não pedi?rsrsrs

Felipe Nicoliello disse...

Ariel,
Por enquanto não. Talvez o filho dele encarregado do assunto mude isso.
Hélio,
São mesmo, cd uma...
Artur,
Entre 50 a 100 reais, não sei ao certo.
Diogo,
Se tivesse marcado ele teria colocado, como existiam vendas diretas na Puma, pode ser que seu GTS tenha sido comprado direto na Av. Presidente Wilson.

Música boa é aqui! disse...

O Rossato atende muito bem, mas é melhor por telefone. Essa coisa de e-mail não é muito a praia dele rsrs. Ele me mandou os certificados dos meus GTE 74 e GTS 78 ao custo de R$100,00 cada. Vale a pena!

Mazinho Rocha disse...

Musica boa é aqui é o blog do meu filho,mandei o comentário com a senha dele, Graaaaande abraço!

ramoswr disse...

Felipe

Vc "lavou a égua" com estas explicações.
Mais uma vez , demonstra competencia e procedencia naquilo que fala/escreve .
Serviu para quem perguntou e para quem leu esta aula .

Parabéns !!!

Walter Ramos

Sergio Tempo disse...

Uma vez vendo os livros com o Rossatto notei que apenas alguns, diria, muitos poucos tinham o nome da revenda

Anônimo disse...

Felipe,

estou pensando em entrar para a turma que tem esse felino...

Por "coincidência", encontrei um Puma do mesmo jeito que o amigo ai encontrou o dele. O carro ta com documentos de 1975, mas tem a carroceria do 1976. Tem freio a disco na dianteira e tudo.

O carro tem a plaqueta de identificação (perto do tanque de combustível), vidros da puma, piscas originais...

O que pode ter acontecido?

Obrigado

Abraços
Pedro

Felipe Nicoliello disse...

Pedro,
É o famoso cabrito, documento de um Puma com carroceria de outro.
Se só foi trocada a carroceria por acidente ou seja lá o motivo, menos mal, o Puma fica sendo um Puma modificado sem direito a placa preta. Mas o problema que esses dois tipos de Puma tem chassis diferentes, aí vale uma investigação, para ver se o chassis corresponde ao ano no documento, se não for, é chassis que teve sua numeração alterada, aí pode ser carro roubado ou bloqueado judicialmente. Coisa boa não é.
Tem que ser assim, a numeração do chassis:
Se começa com SP 143... é chassis de Karmann Ghia e fisicamente deve ser chassis de KG (um bom mecânico conhece).
Se começa com SP 102... é chassis de Brasília, aí fisicamente tem que ser chassis de Brasília.
Se tiver numeração de um com chassis de outro é cabrito.

evandro alves disse...

Ola felipe,talvez vc possa me ajudar!Tenho uma puma gte 78 amarela.que eu comprei sem os doc que foram perdidos.ela é placa amarela e o rapaz que comprei não tinha transferido para o nome dele e nem faz ideia de onde esta o ex dono.tenho tudo dela,placa,plaqueta,chassi em perfeito estado menos os doc.ja tentei varios despachantes e nenhum conseguiu resolver meu problema.o que vc me aconselharia ou quem,para eu regularizar ela?Obrigado...

Felipe Nicoliello disse...

Caso bem complicado Evandro. Mas pode ter solução. Primeiro gostaria de saber qual o registro dessa placa amarela, cidade e estado. Escreva para mim.

Aluisio Martinez disse...

Caro Felipe.

Por gentileza, até qual ano, a PUMA utilizou a alavanca(mais longa) do freio de mão do Fusca 1200 em seus carros?
Agradeço desde já.

Felipe Nicoliello disse...

Aluisio, foi ate 1976, nos Carros com chassi KG iniciado pot SP 143...
A partir do chassi SP 102... alavanva era mais curta, do Brasilia.

Aluisio Martinez disse...

Ok, entendi. Obrigado.

Abraço.