sexta-feira, 30 de julho de 2010

Foto de época - Piloto de corrida

O meu amigo Fernando La Rocque Puma em seu Puma Espartano #60, em 1972. Era espartano mesmo, sem forrações, mas não deixava de ter o painel de madeira com o respectivo friso. Uma época em que tudo tinha classe, hoje os carros de corrida em sua totalidade não são espartanos, são sem acabamento mesmo, tudo fixado no jeito que deu. Como diz meu amigo Irineu: "Está bom assim, carro de corrida não precisa ser bonito, tem que andar!". Mas se a gente pode aliar a estética com a rapidez não faz mal nenhum aos olhos.

11 comentários:

Leo Gaúcho disse...

O carro deve estar com o motor desligado pois o conta-giros está parado.Contudo o velocimetro parece que ameaça subir.Pergunto:o contagiros tá funcionando???!!!Pensei que haviam instrumentos adicionais no Espartano, tipo temperatura, pressão..., contudo vejo que até o marcador de combustivel foi eliminado.Vidros laterais realmente de acrílico.

Fernando Portilho disse...

Léo,
Você que é muito observador, olhando atentamente, verá que a chave de ignição está desligada.
Quanto aos vidros, se não me falha a memória, eram de acrílico.
Havia um espartano exposto na famosa Comercial MM na av. Santo Amaro nos áureos tempos onde se podia comprovar as transformações para a pista.
Abraço, Fernando Portilho

Leo Gaúcho disse...

Karakas!!!!Eu que sou observador é???rsrsrs.
Valeu Fernando!

Anônimo disse...

Caro Leo

Gostaria de acrescentar alguns detalhes sobre o Puma em foco.É bem provavel que este carro era um Puma standart de rua e não um espartano, pois está com placa trazeira, dai concluir-se que foi licenciado e lacrado.Quando a Puma fornecia um kit espartano para ser montado poderia ser completo ou partes dele; capo dianteira elevado para tanques maiores, portas, capo trazeiro, entradas de ar laterais, tomadas de ar para freios dianteiros, e mais alguns detalhes para serem adaptados a carroceria já existente.Poderia ser montado completo desde de que fosse fornecida a plataforma pelo comprador que poderia ser nova sem numeração ou plataforma já usada com numeração de documentação pré existente.Quando fornecidos completos com plataforma geralmente eram montados na Comercial MM,concessionária autorizada ligada a fábrica,visto que eram os mesmos donos.Infelizmente não se sabe o número exato de espartanos fornecidos completos ou em partes.
No puma em questão nota-se paralamas recortados e mais altos para receber rodagem maior e pneus mais largos...vidros bolha em acrílico fixos(aliviar peso)...capo dianteiro elevado para tanque de combustivel maior(60 ou 80lts)...tomada de ar lateral..capo trazeiro maior...vidro trazeiro menor...tapeçaria interna removida..(note orifício acima do espelho onde ia iluminação interna...e mais alguns detalhes de painel que demonstram sua origem standart...chave de contacto com trava(no espartano era colocado um calço na coluna para o volante ficar mais baixo para facilitar a dirigibilidade...nao ia velocimetro pois o conta giros era central e relógios de pressão(2)motor e circuito de cater seco e temperatura(2)motor e reservatório.
Desculpe-me ser extenso demais, mas como vc gosta de detalhes poderei numa próxima oportunidade conversarmos sobre mais detalhes de um espartano

Abr a todos pumeiros
Josamar

Luby disse...

no espartano era colocado um calço na coluna para o volante ficar mais baixo para facilitar a dirigibilidade.. tai um detalhe que eu sempre fiz nos meus pumas e realmente a dirigibilidade para quem a estatura é pequena melhora muito mesmo, boas lembranças Josamar.
abs

Leo Gaúcho disse...

Josamar,

Aqui tenho certeza que jamais um comentário será extenso!Bem, o Felipe relata a posição em relação ao compartimento ser de certa forma "luxuoso".Contudo, vou além, os botões dos acionamentos do limpador e farois são os originai e pode-se reparar que a maquina do limpador de vidro também pois parece ser o de forma cruzada, portanto, original também, embora os espartanos 48 e o 35 do Paulão Gomes tinham o limpador único.
É, tomara que ainda tenha mais algum apenas escondido por aí, pelo menos o fato de não sabermos ao certos quantos foram fabricados nos deixam na espectativa e esperança de que logo logo vai aparecer um!

fernando La Rocque disse...

Era realmente um Espartano,a carroceria podia ser levantada pr duas pessoas, e eu levantei junto com meu irmão, a fibra era fina e tinham partes que afundavam com a pressão do dedo, eu comprei do Biju (Benjamin Rangel)e não me lembro porque foi emplacado.
Um detalhe sobre o Spieder alinhado era pilotado pelo Paulo Sergio Vale, que ficou famoso como compositor, junto com seu irmão Marcos Vale

Roberto Costa disse...

O primeiro Puma Espartano que se teve notícia TERIA sido preparado pelo Jorge Letry e vendido para uma equipe de Salvador mas estreou no Rio nas mãos do Norman Casari e depois nas mãos de Lulu Geladeira ganhou na inauguração do Autódromo de Fortaleza, este era o número 17. A mesma equipe depois adquiriu outro Puma Espartano e equipou com mecânica Porsche mas não deu sorte parando cedo no GP do Nordeste (500 KM) corridos em Fortaleza e com numero 71 passou a ser pilotado por André Burity. O dono da equipe teria falido mas pelo menos um dos carros chegou em segundo pilotado pelo José Luiz Bastos na última corrida realizada na avenida Centenário em Salvador. Eu estava lá mas não lembro o ano!
O Lulu Geladeira é pessoas bem conhecida em Salvador e algum dos seguidores aqui do Blog bem que poderia tentar contatar e ver se ele teria algum pista.

Roberto Costa disse...

Depois dos 500 Km em Fortaleza o segundo Puma recebeu mecâniva VW!

itaipava disse...

Este Puma Espartano foi adquirido do Biju - Benjamim Rangel veja link abaixo ele era o numero 7
http://www.fotolog.com.br/photomechanica/18590456

Daniel Pardo disse...

Mudando de assunto: Onde se acham essas luvas com os dedos pra fora pra vender???