terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Fora de área - TVR Griffith

O esportivo inglês nasceu nas mãos de Trevor Wilkinson em 1947. A fabrica produziu diversos modelos de 1956 até 2006, quando houve a paralisação e no ano passado foi feito o anuncio definitivo do encerramento da fabricação dos esportivos TVR. Durante esses anos houve a especulação de montar uma fabrica no Brasil, que ficou apenas na vontade.
Fabricado em fibra de vidro, o esportivo que ilustra a matéria é o modelo Griffith de 1991 a 2002, fotografado nas ruas de Amsterdã, Holanda. Ele era fabricado com motores do Rover V8 de 240 a 340 HP, localizado na dianteira. Interessante que não existe capô, a carroceria é uma peça única. Com 1060 kg e um motor potente, o carrinho era tido como bonito e brutal, devido as suas linhas e potência sem equipamentos eletrônicos. Deveria ser domado nos braços. Seu rugido era assustador, um misto de BMW Z1(harmonia) com AC Cobra (brutalidade) e sensação de Ferrari. Ganhou o mundo, exportados para diversos países. O modelo Tuscan, o mais potente e leve, foi proibido nos Estados Unidos por ser considerado perigoso e não atender a legislação de segurança. Sem air bag e para-choques, para não aumentar o peso de 1.100 kg, impulsionado por um motor de 440 HP, velocidade máxima de 350 km/h, uma verdadeira cadeira elétrica ou viúva negra para as ruas. 
O Griffith, mais manso e menor, seu comprimento de 3,89 m e largura de 1,94 m, era bem parecido com nosso Puma. 

Se o Puma tivesse tido uma motorização melhor, poderia ocupar um lugar no hall dos grandes esportivos, como o TVR.

12 comentários:

luis wynns disse...

eu vi um programa na televisão que monstou a fabrica desse carro, ele tem um chassis tubular bem interessante

gabriel disse...

o chassi era do tipo espinha dorsal igual aos dos corvetes zr1 de 1986 com esse motorzinho na frente urando barbaridade. uma tomada legal com um carro destes e num filme de john travolta que tem uma perseguição nas ruas de nova york, bem legal o filme o nome eu não sei direito é algo como sword fisher se não me engano não lembro direito o nome em inglês não sei nem se a pronuncia esta certa mas em portugues me pareçe que a traducão é a isca.

rotea disse...

Aqui tem uma cena de perseguição do filme

http://www.youtube.com/watch?v=qh5siM_vcOw

Anônimo disse...

sempre tive essa reclamação do contrutor dos pumas apesar de ter tido um e gostar muito ele não passa de kit-car,não tem segurança nenhuma,e sua mecânica,recatada,isso é o corvette brasileiro,da vergonha de tudo que é feito no Brasil Renato

Irineu Desgualdo Jr. disse...

Renato,

A plataforma VW devidamente desenvolvida (mas sem mudar sua concepção original) acabou "descambando" nos Porsche 911 e em veículos bem rápidos pra corridas tipo Baja. A mecânica é recatada mas aceita MUITO desaforo se devidamente ajustada para cada aplicação específica.

Fora que Puma não é kitcar e sim um produto que era muito bom na época. Pra falar a verdade, é muito bom hoje, ainda. Um Puma bem restaurado, no qual se tenham aplicado técnicas corretas, é bastante prazeroso de andar e anda até que muito bem.

Hoje tem Puma participando de corridas e andando na frente de carros de concepção mais atual (que é a chatice da tração dianteira mais suspensão mcpherson dianteira mais tubo de torção traseiro).

Resumindo, não é muito difícil fazer esse "kitcar" andar bem. Eu mesmo já andei com vários Pumas muito bem restaurados e outros tantos que além de muito bem restaurados foram muito bem preparados.

Talvez você tenha como referência Pumas restaurados fora de bom padrão e ainda por cima usando motores retificados à base de troca em retíficas comerciais em quatro vezes no cartão...

Felipe Nicoliello disse...

kkkkkkkkkkkkk
4 vezes no cartão?! Já era, hoje fazem em até 10 vezes.
E o pior que de retificado não tem nada, apenas a junção de várias peças usadas em bom estado, formam o novo motor, que pode chegar no máximo até 25.000 km, quando um motor novo chega fácil a 150.000 km.

gabriel disse...

ha ha ha ha ha ha ha. teria sido bom se tivesse ficado calado.

Anônimo disse...

Irineu,eu como disse no meu comentário,já tive Puma e antes de ter pesquisei sobre a história do carro,e sou fã dos motores a ar principalmente dos carros VW pré 2 guerra,e seus derivados etc... e tal mas minha opinião é essa e acabou,o assunto,mas no Puma 6 caneco ai o trosso muda,de figura. Renato.

Anônimo disse...

ah Irineu,como você disse "tem muito Puma andando na frente"ah sim a maioria com motor ap,com arco de proteçâo interno com muita segurança,o que nunca foi passado para os carros de rua.Renato.

Irineu Desgualdo Jr. disse...

Aí é que você se engana, Renato. O Puma mais rápido hoje andando em Interlagos foi preparado por um amigo meu, tem 1.600 cc e é refrigerado a ar. Você pode ter pesquisado a história dos VW pré guerra, o que é um puta mérito. Mas certamente não frequenta Interlagos, não conhece quem tá fazendo motor bem feito hoje e muito menos as técnicas empregadas. Tem Pumas, sim, com motor refrigerado à água e esses até andam bem. Só que o mais rápido é refrigerado à ar. O problema não tem sido de desempenho mas sim de onde achar peças confiáveis pra preparação. Tanto é assim que o R. Zullino, cappo da F. Vee, mudou o regulamento liberando comando de válvulas Engle W100, virabrequim Empi e casquilhos e bronzinas importadas para os motores deste ano. Só porque as peças "originais" de reposiçao feitas no Brasil são de péssima qualidade. Só por isso.

Anônimo disse...

Não,não frequento interlagos,mas a coisa muda de figura quando o assunto,são peças,para competição,o meu comentário foi feito baseado no que foi dito no post,mas precisamente,quando foi dito que se ele tivesse uma melhor motorização, poderia ocupar um lugar melhor no hall dos grandes esportivos,pois acho,que o Puma poderia ter sido construído com mecânica do opala 4 cil,câmbio,cardã encurtado diferencial,mas com chassi própio,só que a carroceria seria mais parecida com o Malzoni DKW,por causa do radiador a carroceria não poderia ser tão baixa como a do Puma VW,na dianteira,e com arco de proteção interno,ai sim o carro seria mais honesto pois do jeito que é, é aquela coisa que a gente não gosta de ouvir o Puma é um fusca com roupa esportiva; mais aí você vai falar; mais fica caro de mais,mas vamos lembrar que só comprava Puma quem tinha grana e para esse pessoal tanto faz.agora quanto a preparação de motor,peças,e quem faz, e já fez isso eu sei muito bem ,pois eu devoro revistas de preparação de vw como ninguém.Renato.

charles disse...

felipe, acho que o puma merece seu lugar no hall de esportivos sim apesar de sua configuração mecanica.
o porsche 356 super 90 apesar das modificações feitas no motor geravam 90hp de potencia, coisa que o puma preparado de fabrica chegava a superar nas configurações de 1800cc.

é que hoje se classificam super esportivos aqueles carros que possuem 500hp em seus motores v8, v10 e v12, ou com seus turbos e seus 1500 kilos de peso.

o puma se enquadra na mais pura essencia de carros esportivos: relação baixo peso e potência.

assim como fazem os lotus até hoje.