quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Puma pelo mundo - Mais um na Alemanha

"Oi Felipe, levou tempo mas meu carro chegou. Dia 25 finalmente pude retirar o Puma do container e fiquei aliviado ao constatar que ele chegou inteiro, sem nenhum dano decorrente do transporte (o logotipo na traseira já estava quebrado antes). Eu estava bem ansioso já que só conhecia o carro por fotos que recebi em fevereiro, quando o carro foi comprado para mim por um amigo.
Depois do desembarque o Puma foi transportado para o „Centro Técnico Puma“ em Bremen. Mesmo ainda sujo e sem trato o Puma chamou mais atenção no porto do que o belo Mustang que o acompanhou na viagem. Em Bremen ele foi direto para o elevador e está aos cuidados do Jürgen, que está fazendo todas as alterações necessárias para atender à legislação alemã (troca de faróis, lanternas, pneus, instalação de aquecimento e dispositivo para fixar o cabo de reboque no eixo dianteiro).
A substância do carro é boa mas há muito o que fazer ainda. Felizmente o Jürgen possui um valioso acervo de peças originais, isso torna tudo mais fácil. O principal objetivo agora é deixar o carro em condições de ser licenciado e apto a receber a placa de veículo histórico. Depois vou poder me dedicar aos detalhes. Anexo algumas fotos. Meu presente de Natal deste ano está garantido, não vejo a hora de trazer ele para casa e poder mostrar para os amigos e colegas.
Como já disse antes, sua ajuda foi fundamental para o êxito desta empreitada. Agora ainda é mais legal acompanhar o seu blog. Se você quiser postar alguma foto no seu blog fica a vontade, o Juergen deu o ok.
Grande abraço,
Christian"

Puma em Hamburg.
Ruma a Bremen.
Pelo jeito este Mustang também foi para lá, lembro que estava a venda em São Paulo. Se não era esse era igual.
O Centro Técnico Puma Bremen.
E aqui já nas mãos do mestre Juergen.

11 comentários:

Marcos disse...

Felipe, não vai aqui nenhuma critica ou mesmo qualquer desrespeito ao amigo na Alemanha. A critica vai às nossas autoridades (nem sei quais) que permitem a saida de um veículo clássico, seja ele de qualquer marca ou ano de nosso pais. Será que eu consigo facilmente comprar um Mustang 67 nos EUA e trazer pra cá, ou lá a conversinha é meio diferente?
Marcos, São Paulo

Fernando disse...

Quase cai da cadeira quando vi as fotos! Este puma foi meu primeiro puma. Fiquei vários anos com ele. Fiz muita coisa para deixá-lo cada vez mais original. Vendi faz 2 ou 3 anos pra um cara aqui de Curitiba.
Se o amigo da Alemanha quiser algum informação estou à disposição no e-mail ravatodiesel@gmail.com Felicidades com o carro, quando foi meu, ele me trouxe muita alegria e espero que traga para vc também...
Saudações pumeiras,
Fernando

Fernando disse...

Felipe, favor me passar o e-mail do Christian para que eu envie algum material que tenho deste puma para ele.
Abs,
Fernando

cdheinemann disse...

Oi Marcos,

o grande problema no Brasil é a leis não permitirem a entrada de carros usados. Eu entendo que com isso se protege a indústria nacional e se evita a importação de sucatas. Mas como efeito colateral fica difícil para os brasileiros amantes de carros clássicos participarem de um intercãmbio saudável que mistura os belos carros pelo mundo afora.

Na Europa entram por semana centenas de carros antigos vindos dos EUA. Você pode comprar pelo Ebay quase sem burocracia. Tanto para os americanos como para os europeus é um bom negócio. Os preços pagos pelos europeus são mais altos do que no mercado americano. Em contrapartida, bons carros americanos na Europa são caros e difíceis de se encontrar.

Um mercado mais forte ainda é o de reimportação. A maioria de Porsches e Mercedes clássicos à venda no momento aqui na Alemanha sao carros que foram reimportados dos EUA. Devido ao clima mais ameno, lá ainda se encontra carros com boa lataria (também vem muita porcaria, tem que se ter cuidado). Os carros dos anos 60 a 80 que ficaram por aqui em geral foram usados no inverno e são ruínas tomadas pela ferrugem. Os que estão em bom estado são raros e portanto caríssimos.

Abraços,
Christian

cdheinemann disse...

Oi Fernando,

cara, que boa notícia. Quero saber mais sobre o "nosso" Puma sim. Meu email é cdheinemann@yahoo.com

O carro foi comprado do Rafael em Curitiba. Ele me contou que o proprietário anterior era membro do Puma-Clube de Curitiba e havia feito uma grande reforma. Acho que esta foi a pessoa para quem você vendeu o carro, vou checar em casa.

Fica tranquilo, seu carro está em boas mãos. Sábado vou a Bremen encontrar o mestre Jürgen e estamos confiantes de em breve poder fazer o licenciamento.

Abraços,
Christian

Anônimo disse...

Parabéns Christian!!! Fico muito feliz e orgulhoso de saber que um carro desenhado e produzido no Brasil faça sucesso em outros países do mundo. Passado o auge da Puma no Brasil, nos anos 70, veio o declínio da marca com o fechamento da fábrica e a entrada de novos carros no País. Situação que se inverteu a muito pouco tempo, através de abnegação de antigomobilistas e a paixão e persistência de pessoas como o Felipe Nicoliello. Penso que a valorização do Puma por estrangeiros só fará reacender a estima dos brasileiros por esse fantástico carrinho nacional, valorizando-o e aumentando o zelo na sua conservação. Penso, ainda, em minha emoção quando puder visitar novamente a Europa e encontrar um Puminha nas Autobahs de seu País. Boa sorte com o GTE e boas estradas!!! E como costumam cantar os meus amigos de Blumenau: Ein Prosit, ein Prosit der Gemütlichkeit!
Paulo (Fpolis/SC)

João Cesar Santos disse...

cdheinemann é proibida a importação de veículos usados mas tem uma lei que permite a importação de veículos com mais de 30 anos, com a finalidade de coleção. Ocorre que o pessoal só traz camaro, mustang e corvette. Sem falar que as taxas e impostos cobrados pelo governo brasileiro dobra o preço do veículo. Eu tb acho que deveria ter uma restrição maior quanto a exportação de veículos antigos, especialmente aqueles fabricados exclusivamente no Brasil (SP2, Puma, TC, etc...)

Sandro disse...

Fernando onde seu Puma foi parar......
Quando vi a placa nem acreditei, eita mundão sem fronteiras.

Felipe Nicoliello disse...

João Cesar,
Não acho que deveria existir restrições para esses veículos, porque quando impomos algo, o efeito colateral pode ser grande. Acredito que o mercado é sábio e a lei de oferta e procura ajuda na preservação. Dos 23 mil Puma fabricados, pelo menos a metade sobrevive, mesmo que aos trancos e barrancos, mas muitos estão voltando a vida original. Se o interesse internacional aumentar, ajuda a conservação do bem e consequentemente a preservar a história Puma. Cabe a nós brasileiros demonstrar mais interesse sobre o carro para segurá-lo aqui. De nada adianta seguramos lixos ambulantes.
E neste caso do Christian, como o caso do Eduardo Silva (aquele do Tubarão vermelho), são dois brasileiros residindo na Alemanha que levaram suas paixões juntos com eles.
Um exemplo, se sou obrigado a mudar para a Alemanha, você acha que poderei viver só andando em Porsche, BMW, Ferrari? Serei condenado a andar nesses carrinhos? rsrsrs

Sergio Tempo disse...

Fernando, só não manda o AM4, pra lá não, segura o bichinho aí em S. Mateus
abs

adao emilio disse...

Bem, como é de praxe tudo que é bom se leva embora deste país.
Nao sou contra, mas deve sim ter um controle de saida, como tambem mais respeito pelos que aqui estao, o controlar e um exemplo do descaso aos que aqui estao. E o pior, pouco ou nada se faz.
sds, adao emilio