segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Polia do virabrequim Puma


Por Raimundo Gaspari
É uma peça muito importante para a preparação de motores refrigerado a "ar".
Devido a seu tamanho de aproximadamente 6" deve ser utilizada principalmente em motores que recebem o sistema de cárter seco.
A bomba de óleo utilizada neste sistema tem a característica de ser mais alta por ser dupla e sobreposta.
A polia original não cabe, toca na tampa da bomba impossibilitando a montagem do motor.
Mas ela também tem outra finalidade importante para motores preparados.
Por ter o desenho do sulco da correia em forma de " V " impede a mesma de pular fora em giros mais altos e também o seu pequeno tamanho possibilita diminuir, vamos dizer assim, a massa e consequentemente a vibração na ponta do eixo de virabrequim dando mais durabilidade do conjunto .
O ideal é ela ser fabricada em alumínio e também graduada, peça fácil de achar hoje em dia em qualquer loja de produtos de performance, mas nos anos 70/80 e até inicio dos 90 era muito difícil de se conseguir e a informação de sua utilidade era também o "truque da manga" para muitos que se arriscavam a preparar motores refrigerados a "ar".
Por isto a PUMA deve ter copiado de modelos importados e incorporado as suas variadas peças de performance, conhecida por muitos da época.
A mesma da foto veio no motor 2000 cc do meu Puma GTS, que tinha também um par de Weber 40 e o conjunto de cárter seco, fora outras peças de performance. Um abraço Rai.

O Rai é meu amigo de Salvador-BA, pumeiro de longa data, restaurador e especialista em Puma.

6 comentários:

smarca disse...

Como costumo dizer, esse blog virou referência nacional e internacional sobre a marca Puma.

Nem imaginava que pudesse ter existido uma polia do virabrequim da marca Puma.

Aprendi mais uma.

O que eu sabia é que existe uma RPM máxima que o antigo dínamo pode girar, acima da qual se "esfarela". Já o alternador suporta maiores revoluçõe por minuto (a partir de meados de 78).

Então não podemos reduzir a polia apenas pensando na bomba de óleo, pois há que se calcular o giro máximo a ser atingido pelo motor preparado e a respectiva rotação do dínamo (consequentemente da ventoinha) e, talvez calibrar nova polia neste último, evitando que ultrapasse a margem de segurança estabelecida pelo fabricante, Bosch no caso.

Luby disse...

Não conhecia esta polia da puma não, a bomba de oleo para carter seco eu ate tenho uma quardada e realmente para ela ser usada tem que trabalhar com uma polia menor, mas como a puma sempre inovou na epoca temos ai mais uma..

João Cesar Santos disse...

essa polia é peça arqueologica, com valor histórico, deve ser jateada, cromada e pendurada na parede da sala ou garagem

Stael Alves disse...

Navegando pelo blog descobri que esta "POLIA PUMA" já esteve por aqui. Pra ser mais preciso ela passou por aqui em Novembro de 2009.

Esta aí o atalho: http://www.pumaclassic.com.br/2009/11/puma-pelo-mundo_11.html

Aluisio Martinez disse...

Apenas corrigindo o colega smarca (o Sandro), a polia do VIRABREQUIM sendo menor, diminui as Rotações Por Minuto no dinamo não causando nenhum dano a ele.
Só aumentaria o RPM do dinamo se diminuísse a polia dele.

Daniel Pardo disse...

Eu sou mais um que não sabia que tinha existido uma polia Puma.