quinta-feira, 10 de abril de 2014

MENOS UM - GTE amarela

Esse GTE, que não dá para saber o ano devido a tantas modificações, foi fotografado em São Paulo-SP, pelo meu amigo Edson Molinaro.
Gosto não se discute, diz o dito popular, mas existem regras de desenho e proporção que devem ser respeitadas para um resultado satisfatório.
 Esse enorme para-choque, no visual, parece não pertencer ao veículo. Claro que não pertence, veio de um Pegeout 206. Ele aumenta a linha lateral traseira, descontinuando as linhas laterais do veículo.
 Além disso, olhando a vista lateral, qualquer pessoa sem conhecimento nenhum de desenho automotivo, percebe que a traseira não faz parte da lateral, as linhas não se alinham e tem formas diferentes.
 O que acontece no desenho traseiro é repetido na dianteira, em menos intensidade, mas também as linhas não dão sequencia no desenho.
Por isso, modificar o desenho de um carro ou criar um novo, não é para qualquer pessoa, esta deve ter no mínimo conhecimento básico de desenho para não criar erros grosseiros. E se não tiver conhecimento de desenho automotivo, que é bem mais complexo, fatalmente cometerá alguma falha, que dará falsa impressão no visual, como parecer mais largo ou mais do que é na verdade. Assim aconteceu com a Puma, quando lançou o novo GTS em março de 1976, o famoso bunda caída. Na engenharia, envolvidos com prazos de lançamentos e muitos outros detalhes, passou desapercebido, mas o público não deixou barato e logo instituiu o apelido, fazendo com que a Puma revisse o projeto, que levou mais de um ano para ser corrigido.

10 comentários:

walter ramos disse...

Os dois carros modificados, por coincidencia de cores semelhantes, acabaram por aparecer em tempos iguais no blog e é possivel compara-los.
Ambos pecaram pela transformação .
A meu ver aquele AM ficou muito pior que este GTS.
O fato mais comum nestas histórias é sempre a falta de criterios e bom gosto .

Thiago Guimaraes disse...

eu jamais iria fazer isso com o meu gte 1980,mas gosto e gosto.

luis wynns disse...

não sei se alguém acompanhou, mais nas ultimas 2 sextas feiras eu vi na tv o programa overhaulin, nesses 2 episódios os caras fizeram um lotus europa, um carrinho meio esquisito, mais tem a frente bem parecida com os nossos pumas e e traseira que lembra bem os primeiros miuras, os caras fizeram varias personalizações pensei sinceramente que ficaria uma aberração mais no final ate que as modificações ficaram harmônicas

Thiago Guimaraes disse...

nao cheguei a assistir esse programa
mas acredito que dar uma leve rebaixada ou uma pintura bonita nao tira o charme da puma.

Felipe Nicoliello disse...

Lius eu assisti, mas acho que o L otus perdeu um pouco a identidade, aquele farois de Porsche moderno melhorou o visual e perdeu a sua caracteristica de uma epoca. Quando colocam pecas que nao existiu no ano do carro, essa mistura, na minha opiniao, nao combina, como oleo na agua, nao se misturam.

gabriel delanne disse...


Falem o que quiser. mal ou de bem, que ela é fusca de plástico carro ultrapassado feio ou coisa qualquer. mas que se estivesse sendo fabricado e custasse na faixa de 60.000 mil ainda assim seria legal, melhor que muito coisa ruim que esta ai no mercado e que muito gente compra e depois se arrepende, mais lógico que ai ela estaria mais desenvolvida. com freio a disco nas quatro rodas bancos estilo concha chassi mais bem elaborado como aquele que a puma tinha em mente lançar, com a suspensão dianteira mcpherson um motor traseiro entre eixos como no 550 spyder para deixa-la mias estavel cambio de cinco marchas e outras coisas mais, mais tudo isso para que falem dela, sempre dela. nossa puma, nossa bela puma pois estivemos de novo no auto esporte e podem ter a certeza estaremos lá sempre lá quando o assunto for carro de fibra. pois fibra ela tem muito, e sempre terá. para mostrar para muitos que um produto nosso. Brasileiro que já não existe mais ainda desperta paixão ate mesmo para criar novos projetos, que diga-se de passagem ficou caro pra caramba. melhor seria se tivesse deixado o carro que deu origem ao projeto como era e ter feito outro em cima da original para chegar naquele resultado que chegaram.

Anônimo disse...

Desculpe outra vez, mas nao tem jeito outra foto mas pelo menos poderia tirar ou tampar a placa do caro pumeiro pelo menos este respeito vc deve passar para o editor desculpe pela sinceridade.Ele tb tem um puma feio ou nao ta rodando.

Felipe Nicoliello disse...

Anonimo,

Não entendi direito seu comentário, mas olhe bem a placa e veja se consegue identificar alguma coisa?
Nem o melhor investigador conseguirá levantar os dados do proprietário, pois as letras estão cobertas com a primeira dezena da respectiva placa!
Claro que se as pessoas virem esse carro na rua, nem precisarão saber da placa para associar a publicação ao carro. Quem não quer ser identificado, anda com carro comum. Agora se o carro fosse uma maravilha, sendo contemplado por todos que vêem, aí seria diferente, o pai da criança logo aparecia e exigiria os créditos.

Anônimo disse...

Bem,a Puma toda dá vontade de chorar,quando alguém fala quê é um produto nosso,lembre quê só a bolha pois a mecânica é by terceiro Reich.Só salva os Malzoni,e o primeiros GTB o resto é gambiarra das boas,e gambiarra de fábrica,sem segurança principalmente os GTS.O quê os proprietários atuais fazem é mais ou menos o quê a fábrica faria atualmente,vide o Puma AMV quê coisa horrorosa.

Felipe Nicoliello disse...

Sr. Anônimo,
Pare de falar abobrinhas, se não considera o Puma VW como brasileiro por ter uma mecânica alemã (Alemanha não é sinônimo de nazismo e tão pouco foi Hilter ou seus comparsas, que projetaram essa mecânica, foi Ferdinand Porsche, alemão que foi forçado a colaborar com o Nazismo, sua família mudou-se para Austria), não deveria considerar também os Malzoni, Puma GT DKW, por ter mecânica alemã também e o GTB por motor, cambio, diferencial e suspensão dianteira Chevrolet, suspensão traseira Dodge, todos americanos. Gambiara no seu conceito, mas o Puma foi aprovado nos países mais exigentes da Europa, como Suíça e Alemanha e para lá foram muitos veículos. Não pense que os veículos que você cultua e deve babar e puxar o saco eram melhores que o Puma na época. O que não pode é comparar um veículo de 30 a 40 anos com veículos atuais. Você conhece o Lotus Europa? Repare bem no veículo e veja se ele é tão melhor que o Puma. E olhe que no período que fabricaram esse carro, a Lotus era campeã mundial de F1. O que os proprietários fazem hoje não é nem de perto aquilo que um profissional, que estudou - sabe o que é estudar? - se formou, ralou para ter o conhecimento, pode fazer em termos de projeto. Quanto ao estilo AMV, gosto não se discute e o carro foi desenhado para mercado norte-americano. O formato trapezoidal da grade do AMV hoje é utilizado por muitas marcas, inclusive a alemã Audi.